Por problema em airbags, BMW anuncia recall para 220 mil carros

Componente produzido pela empresa japonesa Takata já forçou revisões de emergência em carros da Toyota, Honda, Nissan e Mazda

Problema afeta Série fabricado entre 2002 e 2003 | Imagem: BMW

Os airbags defeituosos do fornecedor japonês Takata não afetaram somente carros de montadoras nipônicas – Toyota, Honda, Mazda e Nissan chamaram mais de 3,4 milhões de carros em todo mundo para revisões de emergência. A BMW também utilizou o mesmo componente em carros que fabricou entre 2002 e 2003, por isso anunciou nesta terça-feira (7) um recall mundial para cerca de 220 mil veículos.

Segundo informou a fabricante alemão, mais de 40 mil desses veículos convocados estão nos Estados Unidos. O modelo mais afetado é o Série 3, nas versões sedã, conversível, cupê e perua.

Conforme explicou o fabricante das bolsas infláveis, o airbag do passageiro pode não inflar corretamente por conta de um defeito de fabricação no insuflador. Como resultado, o componente pode causar incêndio ou lançar fragmentos de metal no ocupante no caso de colisões frontais. De acordo com a BMW, até o momento não foi registrada nenhuma ocorrência deste problema.

Recall: Hyundai chama Tucson, Santa Fe e Veracruz para recall

Em contato com o AUTOO, a divisão brasileira da BMW informou que ainda está estudando se o problema nos airbags também atinge veículos comercializados do Brasil.

Recomendados por AUTOO

Youtube
Qual entrega mais? Honda HR-V ou Citroën C3 Aircross?

Qual entrega mais? Honda HR-V ou Citroën C3 Aircross?

SUVs coadjuvantes em vendas podem ser opção para os best-sellers Creta e T-Cross
Aviação
Primeiro caça Gripen brasileiro vai voar em 2025

Primeiro caça Gripen brasileiro vai voar em 2025

Saab e Embraer estão montando no interior de São Paulo primeiro jato supersônico da FAB que será finalizado no Brasil
MOTOO
A partir de R$ 8,5 mil: motos Shineray, Honda e Yamaha

A partir de R$ 8,5 mil: motos Shineray, Honda e Yamaha

Lista reúne as 10 motos mais baratas do Brasil em maio de 2024. Descubra as opções