Em 2018, o Renegade amargou uma incômoda 4ª colocação em vendas entre os SUVS compactos. Considerado o ponto de partida de uma nova fase da Jeep, o modelo havia estreado com pompa no Brasil, inaugurando a fábrica de Goiana, em Pernambuco, uma das modernas do grupo FCA, que reúne, além da marca americana, também a Fiat.

Mas seu estilo lúdico e cheio de referências ao passado da Jeep pareceu ter perdido espaço para concorrentes mais urbanos, espaçosos e produzidos por marcas asiáticas. O HR-V já era um rival difícil de ser batido, mas o Kicks e depois o Creta também passaram a superá-lo com frequência.

Para completar, o irmão Compass, um SUV “meio médio”, estreou em 2016 e tornou-se o utilitário esportivo mais vendido no Brasil. Mas uma leve reestilização e reposicionamento de mercado têm feito o Renegade virar o jogo no mercado.

Desde dezembro do ano passado, ele é o SUV compacto mais vendido no país e abriu 2019 na liderança com folga. Em março foram 6.184 unidades, segunda melhor marca de vendas dele, só ficando atrás de dezembro de 2015 quando foram emplacados 6.561 veículos. O mês excepcional também fez com que o Renegade figurasse na 6ª posição geral do ranking de vendas, à frente do bem mais barato Renault Kwid.

À frente da Honda

A Jeep, é claro, comemora o fato afirmando que “essas 4 façanhas comprovam o acerto do novo Renegade, que pode ser destacado em 4 evoluções principais: o novo para-choque nas versões flex, com maior ângulo de entrada, o novo design frontal, incluindo os faróis full LED, a maior tela multimídia do segmento, de 8,4 polegadas, de série desde a versão Longitude Flex, e a maior roda da categoria, de aro 19” no Limited”, afirmou a diretora da Jeep para América Latina, Tania Silvestri.

Acreditar piamente nisso é uma atitude ingênua, no entanto. No Brasil, as vendas de carros são afetadas por estratégias mais agressivas que podem incluir o mercado de frotistas ou promoções casadas com as concessionárias, para citar alguns exemplos. Chama a atenção no caso da Jeep o fato de Compass ter estagnado suas vendas este ano após dominar com folga a preferência do consumidor.

Ainda assim, os dois SUVs nacionais foram capazes de outro feito, dar à Jeep o 8º lugar no ranking de março, superando quem diria a Honda. A montadora japonesa, que acaba de ativar sua nova fábrica em Itirapina, sofre para emplacar 10 mil veículos por mês mesmo tendo um portfólio bem maior e acessível que a Jeep. Não deixa ser um sinal preocupante para a marca criada por Soichiro Honda.

Renault Kwid 2018
Mesmo mais barato, o Kwid vendeu menos que o Renegade em março
Imagem: Divulgação

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/