Será que volta? Designer imagina uma nova geração para o Fiat Punto

Hatch compacto premium conquistou uma boa parcela de clientes dentro do segmento
Ilustração de Kleber Silva para uma possível nova geração do Fiat Punto

Ilustração de Kleber Silva para uma possível nova geração do Fiat Punto | Imagem: Kleber Silva

Com uma trajetória de 10 anos no mercado brasileiro, entre 2007 e 2017, o Fiat Punto conquistou um relativo sucesso na categoria de hatches compactos premium, tendo com um de seus rivais diretos o VW Polo.

Posicionado à época entre o Palio e haches médios como Stilo e Bravo, o Punto tinha como pontos fortes a excelente ergonomia, a posição de dirigir envolvente e o elogiável comportamento dinâmico.

Quando chegou ao mercado, o compacto deixava a desejar em termos de performance em sua configuração de entrada com motor 1.4 8V, mas ganhou vida nova com a inclusão dos propulsores 1.6 16V e 1.8 16V E.torQ. Em sua gama, uma versão emblemática foi a esportiva T-Jet, que contava com o apimentado 1.4 turbo sob o capô. 

Podemos dizer que o Punto é um modelo que deixou saudade, sobretudo em quem buscava um modelo mais refinado em relação aos hatches de entrada e ainda não conseguia alcançar, ou nem precisava do tamanho superior, dos hatches médios.

Enquanto a Volkswagen conseguiu reviver o Polo no Brasil com uma geração alinhada com a Europa, a Fiat, até então, não havia sinalizado qualquer proposta de resgatar o Punto em seus planos.

Contudo, com o avanço da Stellantis, empresa resultante da fusão entre Fiat Chrysler e Peugeot S.A., o compartilhamento de plataformas e tecnologias entre as duas empresas pode tornar viável para a Fiat a criação de um novo hatch com uma receita bem próxima ao que encontrávamos no Punto nacional.

A Fiat, inclusive, já demonstrou sinais de que seus futuros compactos serão baseados na moderna arquitetura CMP da Peugeot. Já preparada para conjuntos propulsores eletrificados, a CMP inclusive será nacionalizada pela Peugeot e já dá vida ao projeto do novo 208 produzido na Argentina.

Olhando para o mercado brasileiro, é fato que hoje em dia o Argo é um modelo que transita muito bem na faixa de mercado deixada pelo Palio e o Punto, sendo que é muito mais provável que um novo compacto premium da Fiat seja destinado ao mercado europeu. Mesmo assim, a predileção do público global por SUVs talvez faça a marca italiana considerar a real necessidade de investir em um hatch atualmente.

É fato que, na Europa, a categoria dos compactos premium segue bastante ativa, contando com representantes como o já citado Polo, além do Ford Fiesta, Toyota Yaris em sua mais nova geração, entre outros produtos.

E você, acha que um novo Punto faria sentido? Valeria a Fiat investir em um hatch acima do Argo por aqui? Deixe sua opinião nos comentários abaixo!

Ilustração de Kleber Silva para uma possível nova geração do Fiat Punto
Ilustração de Kleber Silva para uma possível nova geração do Fiat Punto
Imagem: Kleber Silva
Assine a newsletter semanal do AUTOO!