SUV da Fiat terá plataforma inédita desenvolvida no Brasil

Apesar das semelhanças com o Argo, Progetto 363 terá estrutura bem mais evoluída
Fiat Progetto 363 2022

Fiat Progetto 363 2022 | Imagem: Divulgação

Com estreia confirmada para ocorrer ao longo do segundo semestre deste ano, o aguardado SUV da Fiat derivado do projeto 363 aos poucos tem os seus detalhes antecipados pela marca.

Uma nova informação que a Fiat divulgou nesta quarta-feira (26) diz respeito a um elemento fundamental em qualquer automóvel: a plataforma. Caberá ao inédito modelo da marca italiana inaugurar uma nova arquitetura no Brasil. Uma boa plataforma tem papel central no sucesso de qualquer veículo uma vez que é a partir dela que a fabricante determina, tecnicamente, as opções de motorização, direção, suspensões e até as partes elétrica e eletrônica do carro. É a arquitetura que determina, em grande parte, os resultados de dirigibilidade do veículo, incluindo a segurança ativa e passiva, passando pelo conforto e até a estabilidade.  

A nova plataforma é chamada MLA (Modular Architecture) e, nas palavras da empresa, é “a mais moderna já desenvolvida localmente”. Enquanto o Argo é baseado na arquitetura MP1, ainda oriunda dos tempos da Fiat Chrysler, a nova plataforma “traz novas suspensões dianteira e traseira, sistema de direção específico para o modelo, opção de motores turbo e aspirado, novas transmissões, além de uma exclusiva arquitetura elétrica com suporte a gestão inteligente do uso cada vez mais extenso da eletrônica, como a central multimídia de última geração e sistemas de auxílio à condução”. 

A Fiat acrescenta que a nova plataforma foi desenvolvida inteiramente pelo time de engenharia da Stellantis na América do Sul, sem dúvida um feito notável e que realça o alto nível técnico dos profissionais em nossa região. “Completamente modular, ela será usada também nos novos lançamentos, além de poder atender aos veículos comerciais leves, mantendo seus pilares de segurança veicular, conforto, dirigibilidade e aptidão para novos sistemas de powertrain”, destaca.

Entre técnicos, engenheiros, time de campo e fornecedores, mais de 200 pessoas foram envolvidas no projeto MLA. Só de cálculos e simulações foram mais de 5 mil horas que se somam a mais de 2 milhões de quilômetros de rodagem reais em estradas, pistas de testes de simuladores de chassis, que consumiram mais de 24 meses de trabalho e integração entre as várias áreas de engenharia, desenvolvimento e validação”, completa a empresa em comunicado. 

Como noticiamos, a previsão é que o Progetto 363 será lançado daqui a três meses e poderá adotar o nome Pulse, Domo ou Tuo, escolha que será feita com a ajuda do público.