Não chega a ser uma ciência exata, mas é muito raro um sedã compacto vender mais que sua versão hatch no Brasil. A regra vale para a Chevrolet (Onix à frente do Prisma), Fiat (Argo vs Cronos), Ford (com o Ka) e Volkswagen (tanto Gol quanto Polo batem Voyage e Virtus).

A exceção até então está na Nissan onde o Versa já há algum tempo emplaca muito mais carros que o March. Nesse caso específico influi muito o fato de o sedã ser um carro com um entreeixos muito maior e um visual que o descola da imagem do hatch, embora dividam a mesma plataforma.

Mas o Versa não está mais sozinho. Em novembro, o Yaris sedã deve fechar à frente do Yaris hatch pela primeira vez desde o lançamento dos novos compactos da Toyota. Até esta quinta-feira (29), o modelo de três volumes acumulava 2.584 unidades emplacadas contra 2.356 exemplares do hatchback.

A situação só não ocorreu antes porque a Toyota iniciou a produção do Yaris hatch primeiro e apenas agora o sedã está chegando ao patamar natural de vendas. Mas afinal o que isso pode significar em relação ao mercado?

O primeiro aspecto a ser colocado na balança está no fato de o Yaris hatch não ter uma versão com motor 1.0 como alguns de seus concorrentes. Sem esse público, seu potencial de vendas cai bastante. Veja por exemplo o Argo, da Fiat. Se considerarmos apenas as versões 1.3 e 1.8 o hatch teve 1.659 unidades vendidas em outubro contra 2.720 Cronos, que não possui versão 1.0.

Até mesmo a diferença entre o Onix e o Prisma, que é vendido com motor 1.000 cm³, cai bastante se levarmos em conta apenas o motor 1.4: foram 7.328 Onix contra 3.993 Prisma.

Pequena diferença de preço

A outra possível razão estaria no fato de o Yaris sedã herdar um público que passou a não ter condições de arcar com o preço do Corolla. Pela tradição que tem nesse segmento é natural que a Toyota atraia mais gente de olho num sedã. Agora há a possibilidade de levar para casa um “mini-Corolla” também, um modelo de linhas atraentes que o Etios Sedan.

É bom lembrar que o Yaris está num patamar de preços onde se vendem poucos hatchbacks. O consumidor nessa faixa de renda geralmente procura um veículo com maior capacidade de porta-malas, é mais família e conservador. Nesse quadro, o Yaris sedã leva vantagem perante ao hatchback.

Por fim, o Yaris sedã nem é muito mais caro que o hatch: na versão XS 1.5 automática, uma das mais vendidas, a diferença é de apenas R$ 2.600 (R$ 75.890 contra R$ 78.490).

Talvez as vendas de ambos se estabilizem num volume bastante parecido, mas se é possível dar um palpite para um vencedor nessa disputa interna, sem dúvida, arriscamos apostar no sedã como o Yaris mais vendido no Brasil daqui em diante.

Veja também: Testamos o Toyota Yaris sedã

 
 
Toyota Yaris 2019
 
Toyota Yaris 2019
Toyota Yaris 2019
Toyota Yaris 2019
 
Toyota Yaris 2019
Toyota Yaris 2019
Toyota Yaris 2019
 
Toyota Yaris 2019
Toyota Yaris 2019
Toyota Yaris Sedã 2019
 
Toyota Yaris Sedã 2019
Toyota Yaris Sedã 2019
 
 
Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/