A ''nova Volkswagen'' que surge a partir deste ano no Brasil

Alemã prepara uma ampla renovação de sua gama com a chegada de produtos competitivos em vários segmentos
Volkswagen Amarok 2018

Volkswagen Amarok 2018 | Imagem: Divulgação

Se atualmente a liderança em vendas do mercado brasileiro está nas mãos da Chevrolet com relativa folga, como você confere em nosso ranking, a Volkswagen vai trabalhar duro a partir deste ano para escalar algumas posições nessa lista. A ofensiva de novidades dessa “nova Volkswagen”, como foi classificada pelo presidente da marca para o país, David Powels, começará a partir do segundo semestre.

Até o fim deste ano, segundo apuramos durante o Salão de Buenos Aires, estreiam no Brasil o facelift do Golf, que terá mais recursos de tecnologia no interior como a nova central multimídia da marca e sofisticações como o painel de instrumentos digital. Outro lançamento aguardado para este ano será a introdução da Amarok V6 na família da picape média. A motorização 3.0 turbodiesel entregará 224 cv de potência e um generoso torque de 56 kgfm. Com isso, a Amarok será a picape média mais potente da categoria, eliminando muitas críticas de potenciais consumidores que esperavam mais do propulsor 2.0 biturbo utilizado nas versões mais caras da picape desde que ela chegou ao mercado. Assim como as demais configurações, a Amarok V6 manterá o sistema de tração integral 4Motion e o câmbio automático de 8 marchas.

Ainda em 2017 veremos a estreia de um dos modelos fundamentais na nova estratégia da Volkswagen para se projetar rumo a liderança do mercado. No segundo semestre, ainda sem um mês definido, a nova geração do Polo começará a ser fabricada em São Bernardo do Campo (SP) trazendo para o Brasil a nova arquitetura MQB A0 e servindo como base para uma nova família da VW no Brasil.

A estreia do novo Polo trará consigo um ajuste na gama Volkswagen, seguindo o exemplo do que ocorreu na linha Fiat após o lançamento do Argo. Segundo Powels explicou para o AUTOO durante uma coletiva no Salão de Buenos Aires, o Gol e up! seguirão em linha sem qualquer interferência devido à estreia do Polo. Caberá à dobradinha up! e Gol posicionar a VW entre os modelos de entrada, sendo que o Gol deverá estrear uma atualização visual provavelmente no próximo ano. O Fox, por sua vez, deverá sofrer alguns ajustes em sua gama de versões, já que hoje atua em uma segmentação de mercado muito próxima a que será destinada ao Polo. A tendência, como abordaremos mais para frente, é que o Fox seja descontinuado para abrir espaço a outros modelos

Novidades para 2018

Segundo o presidente e CEO da Volkswagen para o Brasil e região, o período de um e meio contados a partir de agora será bem movimentado para a fabricante alemã por aqui.

Para 2018 já está confirmada a estreia no Brasil da nova geração do Tiguan, que chega inicialmente em sua inédita configuração 7 lugares. O SUV terá tração integral de série nessa configuração, com destaque para o motor 2.0 TSI de 220 cv, mesma calibração usada no Golf GTI e no Passat, trabalhando em conjunto com o câmbio de dupla embreagem de 6 marchas. Com isso, o Tiguan deverá manter o forte apelo de boa dirigibilidade que consagrou o SUV, agora com a opção de uma carroceria mais versátil.

Agora importado do México, é bem provável que a nova procedência ajude a não encarecer demais o novo Tiguan por aqui, uma vez que o modelo passa a contar com um nível de tecnologia embarcada bem superior. Como notamos na unidade exibida no Salão de Buenos Aires, o Tiguan em sua versão mais cara traz luxos como o painel de instrumentos digital, central multimídia mais avançada, teto solar panorâmico, dentre outros recursos. Graças ao entre-eixos maior da carroceria para 7 lugares, o espaço interno no novo Tiguan é muito bom, assim como o porta-malas com a terceira fileira de assentos recolhida mostrou-se bem generoso. As vendas do SUV começam em novembro deste ano na Argentina, portanto esperar o novo Tiguan para o início de 2018 no Brasil é uma boa aposta. Se você está de olho em um utilitário esportivo na faixa de R$ 150.000, vale a pena esperar pela novidade da VW.

 

Também para 2018 está confirmada a estreia do sedã Virtus, o segundo produto da nova família baseada na plataforma MQB A0 no Brasil. Assim como o Polo, o Virtus será fabricado em São Bernardo do Campo (SP) e é com ele que a Volkswagen quer atuar no segmento hoje ocupado pelo Honda City, portanto preenchendo o espaço entre os sedãs compactos e médios como o Jetta.

“Para voltar a liderar o mercado, a Volkswagen terá de ser mais do que Gol e Voyage como no passado”, declarou Powels. A fala do principal executivo da Volkswagen no país sinaliza que podemos esperar um bom pacote no Polo e no Virtus, como a presença do moderno e eficiente motor 1.0 TSI como um diferencial para os dois modelos. Também podemos esperar um bom pacote de equipamentos de tecnologia na dupla.

É sempre bom lembrar que a nova família de compactos da Volkswagen ainda será composta por mais outros dois modelos, que sairão da linha de montagem em São José dos Pinhais (PR). O mais importante deles marcará a entrada da Volkswagen no segmento dos SUVs compactos, segmento que nenhuma marca que quer ser competitiva atualmente pode ficar de fora. O T-Roc ou T-Cross, o nome ainda não foi divulgado oficialmente, foi bem avaliado pelos jornalistas internacionais que já tiveram contato com o modelo e promete impactar o segmento hoje liderado pelo Honda HR-V.

A família estará completa com a chegada de uma picape do mesmo porte que a Fiat Toro, um dos modelos lançados recentemente que surpreendeu pela ótima aceitação. Com isso, a Volkswagen se cerca em praticamente quase todos os nichos de mercado mais procurados hoje no Brasil.

Dada a vontade da Volkswagen em avançar em sua participação de mercado no país, é bem possível que tanto o Virtus como os novos produtos produzidos no Paraná sejam lançados ao longo de 2018.

Antecipando um pouco o panorama de 2019, dentro de dois anos um dos destaques da Volkswagen para o Brasil deverá ser o lançamento do Jetta renovado. O modelo está confirmado para estrear nos EUA no fim de 2018, portando alguns meses depois também deverá chegar ao Brasil. Assim como ocorreu com o Honda Civic e já tendo o Virtus como uma opção mais racional, o Jetta ficará livre para subir de patamar em termos de estilo, equipamentos e, como não poderia ser diferente, preço.

Com tudo isso programado, a Volkswagen promete fazer a concorrência se mexer em breve. Nós agradecemos a concorrência!

Assine a newsletter semanal do AUTOO!