Antes exclusivo, Cruze chinês agora é a cara do modelo global

Chevrolet atualiza visual do sedã com as linhas da versão lançada no Brasil
O Cruze chinês adota o visual global: sem exclusividade mais

O Cruze chinês adota o visual global: sem exclusividade mais | Imagem: Divulgação

Ninguém duvida da força do mercado chinês. Com mais de um bilhão de consumidores, a China tem sido a tábua da salvação para muitas marcas de automóveis, o que justifica o fato de algumas delas optarem por oferecer privilégios a esse público. Isso se traduz em lançamentos em primeira mão até modelos exclusivos como a segunda geração do Cruze, que a Chevrolet lançou primeiro lá.

Flagrado em 2014, o sedã foi lançado no ano passado na China, antes do resto do mundo e com visual diferente da geração que acaba de chega ao Brasil. Mas a exclusividade tem data para acabar: a Shangai-GM acaba de revelar o primeiro facelift do modelo, que ganhou justamente os traços vistos no modelo ocidental.

A mudança de estratégia reforça a visão de modelo global do Cruze e, de certa forma, confirma que o Cruze chinês não traduzia claramente a evolução dessa geração – os faróis e a grade tinham um estilo bem mais apagado que o do novo Cruze ‘brasileiro’.

Cruze para todos os gostos

O novo Cruze chinês será lançado no final do ano e lá receberá o nome Cruze XL para tentar diferenciá-lo das inúmeras versões vendidas no país. É isso mesmo, o chinês pode levar para casa também um Cruze da primeira geração com leve facelift, além do Cruze hatchback.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!