Após ter o projeto ''congelado'', Renault Alaskan será produzida na Argentina

Picape compartilha o projeto com Nissan Frontier e Mercedes-Benz Classe X
Renault Alaskan 2017

Renault Alaskan 2017 | Imagem: Divulgação

O que parecia uma proposta de negócio interessante tanto para a aliança Renault-Nissan como para os alemães da Daimler acabou, no fim, ganhando contornos de novela mexicana.

Além de desenvolver em conjunto, também era a intenção dos dois conglomerados automotivos produzir de forma compartilhada a nova geração da Nissan Frontier, além das irmãs Renault Alaskan e Mercedes-Benz Classe X na fábrica da aliança franco-japonesa em Córdoba. 

Ao longo dos últimos anos, contudo, a Mercedes-Benz desistiu da produção regional da Classe X e a Renault optou por "congelar" o projeto da Alaskan na Argentina devido ao ambiente econômico e cambial desfavorável, como explicou para o Autoo o presidente da Renault do Brasil, Ricardo Gondo, durante entrevista em 2019. Restou, então, apenas a nova geração da Frontier para ocupar a linha de montagem.

Toda essa história acaba de ganhar um novo capítulo. A Renault Argentina emitiu um comunicado nesta sexta-feira (15) em que confirma, para o fim de 2020, o início da fabricação da Alaskan em Córdoba. Segundo a subsidiária da Renault, “esse marco é resultado da colaboração de todos os setores interessados no projeto, como parceiros, fornecedores, revendedores, funcionários e sindicato”.

Segundo rumores, ainda não se sabe se a divisão brasileira da Renault estaria interessada em oferecer a Alaskan por aqui. De qualquer forma, seria uma alternativa para a marca francesa ampliar sua participação no segmento de picapes, uma vez que hoje ela só oferece a Duster Oroch no Brasil. 

A Alaskan argentina será produzida apenas com cabine dupla e deverá contar as mesmas opções de conjuntos mecânicos da Nissan Frontier produzida em Córdoba, no caso o motor 2.3 diesel com um ou dois turbos, tração traseira ou 4x4 com reduzida e câmbios manual de 6 marchas ou automático de 7 velocidades.

Em uma coletiva de imprensa realizada no país vizinho, Pablo Sibilla, presidente da Renault Argentina, anunciou que a expectativa é atingir na Fábrica Santa Isabel um volume de produção de 40 mil picapes/ano considerando as marcas Renault e Nissan, o que sinaliza a necessidade de exportar grande parte das unidades produzidas por lá. Com isso, há uma expectativa real de a Alaskan chegar ao mercado brasileiro. Vamos acompanhar.

Renault Alaskan 2017
Renault Alaskan 2017
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!