BMW processa Lifan por causa do 320

Marca alemã alega que carro chinês promove campanha parasitária e pega carona no sucesso do Mini Cooper

Lifan 320 é o clone do Mini Cooper | Imagem: divulgação

A BMW, proprietária da Mini, quer barrar a venda do Lifan 320 no Brasil. A marca alega que a fabricante chinesa, representada pela Ever Electric, promove campanha parasitária, pegando carona no sucesso do Cooper.

De acordo com o jornal Folha de São Paulo, a justiça chegou até a emitir uma liminar proibindo a comercialização do carrinho chinês no país. Mas na segunda-feira (09) o desembargador Luciano Rinaldi, do Tribunal de Justiça do Rio, suspendeu a ação informando que o modelo só deve ser retirado do mercado quando houver uma posição final sobre o assunto.

Veja quais são as dez motos mais baratas do Brasil

Em nota, a Lifan se defendeu dizendo que não há concorrência desleal, uma vez que o seu compacto custa bem menos que o hatch inglês.

Outros casos pelo mundo

Essa não é a primeira vez que uma montadora processa uma marca chinesa. A Ford, por exemplo, impediu recentemente a JAC Motors de comercializar a picape 4R3, por ser uma cópia da F-Series. Já a Fiat processou a Great Wall por causa do hatch Peri, uma copia quase idêntica do Panda, além de ter impedido a Effa de vender o hatch M100 com o nome Ideal no Brasil.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!