CAOA Chery promete mais três carros nacionais ainda em 2018

Meta da nova empresa é alcançar 5% do mercado por volta de 2023
Chery Tiggo 7 2018

Chery Tiggo 7 2018 | Imagem: Divulgação

“Não faço isso por dinheiro, o que eu quero mesmo é deixar um legado no Brasil. Acho que, com a CAOA Chery, chegamos mais perto de possuirmos uma montadora genuinamente brasileira neste momento”. É com essa frase que Carlos Alberto de Oliveira Andrade, empresário que batiza a companhia e ficou famoso com sua rede de concessionárias, anunciou ao lado dos executivos chineses da Chery o primeiro passo importante da nova empresa no Brasil, no caso o lançamento do Tiggo 2 no Brasil.

E a CAOA Chery planeja voos bem altos aqui para o Brasil ao conciliar a estrutura e tecnologia chinesa com o know how dos brasileiros ao conceber veículos mais adaptados aos gostos locais. Vale a pena lembrar que, ainda no fim de 2017, foi anunciada a compra de 51% das operações da Chery no Brasil por parte da CAOA, resultando na fabricante local com maior nível de investimento de origem brasileira. O ânimo com a nova joint venture também é percebido na fala de Mauro Correia, presidente da CAOA, o qual revelou que a CAOA Chery espera conquistar 5% de participação no mercado nacional em um prazo de até cinco anos.

Para tanto, uma das primeiras medidas da companhia será o investimento para ampliar a rede de concessionários, passando das atuais 25 para 55 pontos de venda até o fim deste ano. Todas já estarão no novo padrão que a CAOA trouxe para a rede, o que sinaliza um bom sinal já que as concessionárias da empresa geralmente são bem avaliadas pelos clientes.

Outro ponto fundamental para o sucesso de qualquer montadora diz respeito ao portfólio de produtos, algo que será amplamente revisto.

Do que a chinesa já oferecia em nosso mercado, apenas o QQ seguirá em linha, com o Celer sendo descontinuado em breve após o lançamento do Tiggo 2 no mercado. O QQ mesmo já está nos planos para ser profundamente revisto pela nova empresa.

Fato é que, durante entrevista coletiva, o novo presidente da CAOA Chery, Marcio Alfonso, que até era o responsável pela área de engenharia dos veículos produzidos no Brasil pela CAOA, nos explicou que até o fim de 2018 a CAOA Chery iniciará a produção no Brasil de mais três modelos, sendo dois deles produzidos na unidade até então da CAOA em Anápolis (GO) e outro destinado para a fábrica que a Chery construiu em Jacareí (SP).

O engenheiro ainda não antecipou os quais serão esses três modelos, mas já se especula que o sedã Arizzo 5, modelo há muito tempo cogitado para nosso mercado, finalmente deverá chegar às concessionárias. Quem sabe o modelo poderá até estrear a motorização 1.5 turbo no Brasil. Outro modelo que já foi visto rodando no Brasil em testes é o SUV médio Tiggo 7, que deverá usar o mesmo motor turbo. Os modelos trarão novidades interessantes para a linha, como uma central multimídia mais avançada e ganhos na parte mecânica, como a introdução de uma caixa automática do tipo CVT. Tudo é algo, contudo, que será confirmado nos próximos meses.