Chevrolet Cruze sai de linha na China

Modelo, que ainda é fabricado na Argentina com as carrocerias sedan e hatch, não faz mais parte do catálogo chinês
O visual exclusivo para o mercado chinês: mudança de estratégia

O visual exclusivo para o mercado chinês: mudança de estratégia | Imagem: Divulgação

Não é só no Brasil que o segmento dos carros médios, sejam sedans ou hatches, vem sofrendo queda nas vendas por conta do crescimento dos SUVs. Com a produção encerrada para a América do Norte ainda em 2019, agora foi a vez de a China também deixar de oferecer os Chevrolet Cruze com ambas as carrocerias.

De acordo com o site chinês Auto Sohu, a marca teria tirado a dupla do catálogo de produtos da SAIC-GM Chevrolet, joint-venture que produz os carros da empresa norte-americana por lá. O Chevrolet Cruze estava presente no mercado chinês desde 2009, tendo passado por duas atualizações, uma em 2014 e outra em 2016.

Com o fim da linha na China, nos EUA, no Canadá e no México, o Chevrolet Cruze agora só é oferecido nos mercados da América do Sul, abastecidos pela produção na Argentina, sendo que o hatch só é visto por aqui. Alguns países asiáticos ainda vendem o sedan, mas da geração anterior.

Apesar de a produção na Argentina ainda estar ativa, a Chevrolet já anunciou que a planta deverá passar por uma parada programada para atualizar a linha de montagem agora em fevereiro. Ainda não se sabe com certeza qual será o produto que terá sua fabricação iniciada por lá, podendo ser até mesmo o novo Tracker. A produção da nova geração, no entanto, não deve começar por lá antes de 2021. Até lá, ao menos, o Cruze deve continuar em linha.

Daewoo Lacetti

O Cruze surgiu no final dos anos 2000 como um produto desenvolvido pela antiga Daewoo, marca sul-coreana adquirida pela GM. O sedan médio utiliza alguns componentes do Opel Astra, mas era um produto mais simples e barato. Graças a esse pacote mais acessível, a Chevrolet pode lançá-lo em diversos mercados incluindo os Estados Unidos, o que o transformou em seu modelo mais vendido no mundo. No Brasil, ele aposentou o Vectra, uma releitura do Astra H europeu, e teve um bom desempenho de vendas, sendo fabricado em São Caetano do Sul.

Em junho de 2015, a Chevrolet realizadou a apresentação mundial da segunda geração do Cruze. Agora o projeto teria um papel global e para isso incorporou diversas melhorias incluindo o motor 1.4 turbo e uma nova geração da central MyLink. A marca, no entanto, optou por produzi-lo na Argentina onde a produção foi iniciada em 2016. A versão hatch seguiu o sedan no final daqule ano.

Desde então, no entanto, as vendas do segmento de médios caíram e o Cruze não foi exceção. Mesmo muito superior ao seu antecessor e mesmo seus rivais diretos como o Corolla, o modelo da Chevrolet não fez sombra para as vendas da geração anterior. O sedan, por exemplo, teminou 2019 com cerca de 18 mil emplacamentos enquanto o hatch, chamado de Sport6, foi pior: somente 5,3 mil unidades vendidas.

O Cruze chinês adota o visual global: sem exclusividade mais
O Cruze chinês com visual global
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!