Com o Stinger, Kia entra no segmento dos esportivos de luxo

Com o Stinger, Kia entra no segmento dos esportivos de luxo
Kia Stinger 2018

Kia Stinger 2018 | Imagem: Divulgação

Após fazer um bom mistério com uma série de imagens e vídeos, a Kia finalmente revelou nesta segunda-feira durante o Salão de Detroit o esperado fruto do seu projeto “the curve ahead”. Trata-se do Stinger, um sedã 4 portas no estilo fastback que, como prefere a Kia, pode ser classificado como um legítimo Gran Turismo (GT).

Como podemos ver nas primeiras imagens do modelo, o design é bem marcante e contou com o acompanhamento traço a traço do aclamado designer Peter Schreyer (atualmente ele também é o principal executivo a frente da montadora). Como elementos que realçam a presença do Stinger, a Kia destaca o capô longo acompanhado do balanço dianteiro curto. O conjunto também de destaca pelo entre-eixos longo, recurso que ajuda a melhorar o espaço interno, e a traseira com os “ombros” bem elevados. “O balanço visual do Stinger foi concebido para conferir a ele um ar de elegância e porte atlético, sem a agressividade exagerada vista em um esportivo convencional”, acrescenta a Kia.

Na parte interna, por sua vez, o Stinger conta com um painel bem projetado para o motorista, o que realça as linhas da carroceria. O console central, por sua vez, é dividido em duas áreas. A primeira contempla a tela da central multimídia e os comandos do sistema de infoentretenimento, enquanto, logo abaixo, ficam os controle do sistema de climatização. As saídas de ar circulares, segundo a Kia, tem como inspiração a indústria aeronáutica, enquanto a cabine é feita para acomodar 5 passageiros com conforto.

A Kia faz questão de destacar o porte bem superior do Stinger em relação aos concorrentes de luxo da categoria. Com 2,91 m de distância entre-eixos, a novidade supera modelos como o Audi A4, BMW Série 4 Gran Coupé, Mercedes-Benz CLS, dentre outros. A Kia também promete que o Stinger oferecerá o maior porta-malas do segmento.

Para corresponder na parte dinâmica a tudo o que o Stinger entrega no visual, a Kia contratou em 2014 o engenheiro Albert Biermann que até então era um dos responsáveis pelo acerto dos carros da BMW. Com suspensão McPherson na dianteira e multibraço no eixo traseiro, o Stinger também conta com 55% da estrutura fabrica com aço de alta resistência. Com uma estrutura bem rígida, os engenheiros tiveram mais facilidade para encontrar o melhor compromisso com a dirigibilidade e, de quebra, o modelo também entrega uma cabine mais silenciosa e com menos vibrações.

A Kia explica que os motores do Stinger ainda estão em fase final de ajustes, mas a versão de entrada do modelo contará com um 2.0 turbo de 255 cv sob o capô. Para quem quer mais desempenho, a variante mais cara do Stinger trará sob o capô um 3.3 V6 biturbo de 365 cv e 51,9 kgfm de torque. Com o V6 trabalhando em conjunto com o câmbio automático de 8 marchas, o Stinger é capaz de acelerar de 0 a 100 km/h em 5,1 segundos e atingir 268 km/h de velocidade máxima. Independente do motor, o Stinger conta com tração traseira e terá opção de tração integral.

Com recursos como frenagem de emergência autônoma, piloto automático adaptativo, alerta de tráfego cruzado na traseira, dentre outros, o Stinger topo de linha ainda poderá ser equipado com sistema de som Harman/Kardon com 720W de potência que contempla 15 alto-falantes com até mesmo subwoofers montado abaixo do banco do motorista para amplificar a experiência sonora.

Procurada pelo AUTOO, a Kia informou que são remotas as chances do Stinger chegar ao mercado brasileiro.