Como estão vendendo os lançamentos de 2020?

Em meio à pandemia, alguns modelos ignoraram dificuldades e já figuram entre os mais vendidos
Lançamentos 2020: como estão as vendas em seu ano de estreia?

Lançamentos 2020: como estão as vendas em seu ano de estreia? | Imagem: Divulgação

O ano de 2020 ficará marcado na história automobilística pelo tombo nas vendas causado pela pandemia do coronavírus. Não houve marca que não fosse afetada pela crise mundial, mas mesmo assim vários lançamentos chegaram ao mercado.

E, ignorando o clima de pessimismo, parte deles tem surpreendido pelos bons números de emplacamentos. Confira a seguir como estão vendendo os principais lançamentos de 2020:

Fiat Strada

Sem grandes novidades por muitos anos, a picape Strada enfim estreou sua segunda geração em julho. E tem sido um arraso. A Fiat já vendeu mais de 58 mil unidades do modelo, incluindo, é claro, a velha geração, mas é nítido o efeito explosivo da nova picape que em setembro foi o veículo mais vendido do Brasil.

Chevrolet Tracker

A nova geração do SUV compacto deixou de ser baseada numa plataforma da Opel e estreou a mesma base do Onix. E tem agradado muito. O Tracker já acumulava 34,8 mil emplacamentos em outubro comparado aos 16,3 mil carros vendidos em 2019. Vale lembrar que o modelo anterior era produzido no México enquanto o atual é feito em São Caetano do Sul.

Renault Duster

O facelift considerável por que passou o Duster em março parece ter surtido um efeito positivo. O SUV da Renault já havia emplacado 12,7 mil unidades até a terceira semana de outubro, nada mal para um ano bastante afetado pela pandemia. É verdade que em 2019, o modelo foi o 36º veículo mais vendido do país, com 26 mil unidades, mas vale notar que o SUV tem 50% mais emplacamentos que o irmão Captur este ano.

Volkswagen Nivus

O novo crossover da Volks é parte da avalanche de lançamentos de SUVs e começou bem. Até perto do final de outubro, ele acumulava 8,5 mil unidades em apenas quatro meses. A média de vendas recente está em 3 mil carros, o que é bastante significativo nesse concorrido segmento.

Peugeot 208

Lançado em setembro, a segunda geração do 208 passou a ser produzida na Argentina, de onde apenas uma versão é importada, com motor 1.6 e câmbio automático. Embora mostre um grande avanço, o hatch compacto ainda precisará reverter uma situação bastante ruim da Peugeot. O começo até aqui não foi promissor, com vendas entre 300 e 400 unidades.

Ford Territory 2021
Ford Territory 2021
Imagem: Divulgação

Ford Territory

O SUV chinês da Ford foi uma espécie de solução emergencial da marca, que não tem um produto acima do EcoSport capaz de ser vendido por um preço competitivo no Brasil. Por conta da logística complicada, a montadora só tem conseguido emplacar em torno de 300 unidades por mês. Não parece que ele fará muito mais que isso, no entanto.

CAOA Chery Arrizo 6

O sedan da CAOA Chery surpreendeu até aqui por vender mais que o irmão menos, Arrizo 5. Os emplacamentos têm ficado em torno de 200 carros, o que é raro num segmento em franca perda de prestígio.

CAOA Chery Tiggo 8

O maior SUV da marca tem obtido um volume de vendas equivalente a do Tiggo 7, o que é inesperado já que a diferença de preços é enorme, de cerca de R$ 70 mil. Custando a partir de R$ 168.990, o Tiggo 8 ainda enfrenta pesos-pesados do mercado, o que não é uma tarefa fácil para um produto inédito.

Land Rover Defender

A nova geração do clássico modelo da Land Rover só manteve o nome original. Trata-se de um fenômeno semelhante por que passaram modelos famosos como o Mini Cooper ou o VW Fusca e que na prática significa que deixaram de atuar no segmento onde fizeram sucesso. Traduzindo: o novo Defender é um carro sofisticado e bem mais caro que o primeiro e por isso não terá grandes volumes de emplacamentos. Até aqui foram 217 unidades, o que é considerável.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!