Como seriam as vendas de carros no Brasil se o mercado se parecesse com os EUA?

Com quase sete vezes o volume de emplacamentos de nosso país, mercado norte-americano revela um paladar bem diferente para veículos
Ford Ranger 2021

Ford Ranger 2021 | Imagem: Divulgação

E se o brasileiro compartilhasse com o norte-americano o mesmo tipo de preferência por veículos? Como seria o ranking dos modelos mais vendidos no Brasil se eles tivessem um perfil parecido com os EUA? Autoo fez esse exercício de imaginação para conferir como as características de cada mercado acabam influenciando na escolha de automóveis e veículos comerciais de forma impressionante.

Como dito, trata-se apenas de uma comparação livre, ignorando inúmeros elementos como preços desses veículos, local de produção, tributos e salário médio nos dois países. A ideia foi simplesmente projetar a participação dos 20 veículos mais vendidos dos EUA em modelos semelhantes disponíveis no Brasil. Ou seja, o que o consumidor nacional compraria na mesma proporção do país da América do Norte, guardada a diferença de status entre eles, ou seja, o que para o americano é popular aqui trata-se de um carro médio, caso do Corolla.

Vale observar que a lista omite dois modelos, a picape GMC Sierra e o elétrico Tesla Model 3, que não são vendidos por aqui e não têm nenhum modelo relativamente próximo para servir de exemplo. O site também substituiu as picapes RAM pela Fiat Toro, ambas da FCA, e também manteve dois modelos, o RAV4, já que a Toyota não tem um SUV compacto ainda, e o Forester, único utilitário esportivo da Subaru vendido no país. Confira as curiosidades da lista:

Líder do mercado: sai Onix, entra a Ford Ranger

A picape Ranger é atualmente apenas o 35º veículo novo mais vendido do Brasil, mas se nós tivéssemos a mesma preferência do norte-americano, o modelo da Ford seria líder, acumulando em 2020 quase 29 mil unidades emplacadas. Esse número representa 533% do volume brasileiro e que daria a ela a mesma participação da Série F, uma família de picapes grandes que domina as vendas nos EUA há anos e não é importada oficialmente por enquanto.

Nesse cenário hipotético, a rival Chevrolet S10 seria a vice-líder, com 22 mil picapes vendidas ou 281% mais que os números reais. A Toro, representando a RAM, ficaria com o 3º lugar e vendas 47% maiores que no Brasil enquanto a Toyota Hilux, que é a líder de fato, amargaria apenas a 12ª posição com 13% a menos de emplacamentos.

O que se lê desse quadro é que o americano ainda é tradicional na preferência por picapes, veículos muito populares por lá. Esse panorama não mudou de forma significativa nos últimos tempos, apesar da crise econômica de 2008 que transformou esses “carrões” em inimigos do meio ambiente e do bolso. Agora imagine o Brasil com duas vezes e meia o volume de picapes de hoje. Seria ou não seria uma bela briga por espaço nas ruas?

 

 

 

 

 

Toyota RAV4 2019
Toyota RAV4 2019
Imagem: Divulgação

 

 

 

 

 

RAV4, o SUV mais vendido

Sim, o veterano utilitário esportivo da Toyota é o modelo mais vendido do segmento no mundo e uma das razões está nos EUA onde ele é muito popular, tendo superado ultimamente os sedans como automóvel mais emplacado. Se a marca japonesa já tivesse lançado seu SUV compacto por aqui, ele seria o representante nessa brincadeira com os números mas isso ainda vai demorar um pouco.

Na falta de um SUV pequeno, mantivemos o RAV4 que venderia nada menos que 1.000% a mais do que hoje. Seriam 15 mil veículos em três mês, volume que justificaria sua produção no país com folga. Um pouco atrás deve viria o novo Tracker, representando o irmão maior Equinox na Chevrolet. Nessa projeção, ele teria emplacado 11,3 mil unidades, algo que provavelmente a nova geração irá conseguir quando o mercado voltar ao normal.

Quanto aos SUVs mais populares do Brasil, num cenário “americanizado”, eles seriam massacrados. O Renegade, substituindo o Wrangler, teria vendido apenas 6 mil veículos, o Kicks, no lugar do Rogue (X-Trail), teria 9 mil vendas enquanto o HR-V (como CR-V) teria um leve crescimento de 21%.

Corolla em primeiro lugar, de novo

Nos EUA, o Corolla figura como o 8º veículos mais vendido, mas no cenário fictício assumiria o papel do Camry e com isso teria um desempenho de vendas semelhante ao real, com 11,8 mil emplacamentos e um impressionante 5º lugar no ranking. Seus rivais diretos seriam ainda mais fracos nessa hipótese, com o Civic apenas em 17ª e o Cruze nem entrando na lista. A surpresa é o Sentra com 7,2 mil emplacamentos, equivalente ao desempenho do irmão maior Sonata.

Já os sedans de entrada seriam liderados por outro Toyota, o Yaris Sedan como o “Corolla americano”. Aliás, ele venderia um pouco menos que o Camry/Corolla, mostrando a força do nome. O modelo estaria acompanhado de perto pelo City, da Honda, que venderia três vezes mais do que na realidade.

Forester popular e Focus Fastback de volta

A lista conta ainda com dois modelos insólitos, o Subaru Forester, hoje o 19º modelo mais vendido dos EUA, mas que no Brasil é apenas o 158º colocado. Ele teria quase 6 mil unidades vendidas este ano e seria figurinha fácil nas ruas. Já outro modelo voltaria do além, o Focus Fastback, que poderia representar o Fusion, hoje o 20º veículo mais popular dos EUA, apesar de estar de saída.

 

 

 

 

 

Chevrolet Tracker 2021
Chevrolet Tracker 2021
Imagem: Divulgação

 

 

 

 

 

O que o gosto do americano não bate com o brasileiro

Como os mais atentos devem ter notado, o público dos EUA rejeita os hatchbacks e não é algo relacionado apenas à queda na popularidade desses modelos nos últimos tempos. Veículos como o Golf e Focus até tentaram reverter essa imagem, mas fracassaram.

Com isso, muitos modelos populares em nosso mercado nem existiriam como o Onix ou o HB20. Aliás, algumas marcas teriam um desempenho bastante tímido nesse “Brasil dos EUA”, sobretudo a Hyundai. A marca sul-coreana tem no Elantra seu modelo mais vendido e apenas o 33º na lista. O Tucson, seu SUV mais conhecido, se sai ainda pior com o 39º lugar.

A Volkswagen e a Fiat seriam ilustres desconhecidas no Brasil, ficando atrás de marcas como Mazda e Lexus. Mas isso não significa que elas venderiam muito mal como ocorre no Brasil com Peugeot ou Kia. A razão é que o mercado norte-americano não é tão concentrado como o brasileiro.

Enquanto os 50 modelos mais vendidos no Brasil representam quase 90% dos emplacamentos, nos EUA eles só respondem 60% das vendas, embora ambos os países ofereçam praticamente a mesma variade de modelos, em torno de 250 carros.

Aqui os veículos que vão da 101ª posição até o último colocado somam apenas 2% dos emplacamentos, já nos Estados Unidos, eles são bem mais presentes, com 11% das vendas. Ou seja, se comparar os dois mercados parece insano, ao menos no excesso de concentração o Brasil poderia imitá-los.

Posição Modelo Vendas hipotéticas Vendas reais Variação
Ford Ranger 28.558 4.513 533%
Chevrolet S10 21.997 5.766 281%
Fiat Toro 19.717 13.372 47%
Toyota RAV4 14.945 1.325 1028%
Toyota Corolla 11.816 12.090 -2%
Chevrolet Tracker 11.244 4.201 168%
Honda HR-V 10.989 9.071 21%
Toyota Yaris Sedan 10.595 4.434 139%
Honda City 9.788 2.472 296%
10º Nissan Kicks 9.141 12.367 -26%
11º Ford Edge 8.620 21 40946%
12º Toyota Hilux 8.210 9.407 -13%
13º Jeep Compass 7.667 12.055 -36%
14º Ford Ecosport 7.366 6.728 9%
15º Toyota SW4 7.331 2.399 206%
16º Nissan Sentra 7.248 469 1445%
17º Honda Civic 7.214 4.855 49%
18º Jeep Renegade 6.072 14.171 -57%
19º Subaru Forester 5.982 35 16992%
20º Ford Focus 5.654 8 70578%
Assine a newsletter semanal do AUTOO!