E ele morreu novamente. O Fusca, Beetle, Escarabajo ou apenas Volkswagen Sedan para alguns voltou ter sua produção encerrada pela Volkswagen. Desta vez, no entanto, não se pode afirmar que o modelo deixará saudades afinal trata-se da 3ª geração, a que menos vendeu embora seja a mais avançada e equilibrada.

Assim como o Fusca original, também o México foi o palco dessa nova despedida. O atual Beetle era produzido lá desde 2011, quando substituiu o New Beetle, primeira tentativa da Volkswagen de fazer a lendária silhueta do carro renascer em 1997.

Aliás, talvez essa seja a realidade que muitos negam em aceitar. O Fusca, como o conhecemos no passado, deixou de ser produzido em 2003, 65 anos depois de surgir ainda antes da Segunda Guerra das pranchetas de ninguém menos que Ferdinand Porsche e sua equipe.

Esse carro, de concepção robusta e simples e que teve mais de 21 milhões de unidades produzidas – e que se tornou um recorde de plataforma com mais tempo em produção -, nunca voltou do além, como faz crer inclusive a própria Volkswagen.

Trata-se, sim, de uma associação que montadoras fazem com frequência para reavivar sentimentos em seus potenciais clientes, mas sem entregar de fato nada mais que lembranças pontuais. Ou dirigir um Mini original e o atual pode ser considerado uma experiência semelhante? Fãs do Land Rover Defender certamente torcerão o nariz para a “nova geração” do jipão, mas gente que só o conhecia de longe vai adorar. É assim que as coisas funcionam, goste ou não.

 

Terceira geração do Fusca vendeu pouco: 500 mil carros contra 1,2 milhão do New Beetle e 21,5 do Fusca original
Terceira geração do Fusca vendeu pouco: 500 mil carros contra 1,2 milhão do New Beetle e 21,5 milhões do Fusca original
Imagem: Divulgação

 

Quanto ao Fusca, já havia ficado claro para a Volks que o apelo do carro tinha se esvaído. E não por culpa dele, mas das mudanças no paladar do consumidor mundial. Só assim para explicar que a terceira geração, infinitamente superior à segunda, tenha vendido apenas 500 mil unidades nesse período, contra 1,2 milhão. Nos anos 90, a onda retrô impulsionou o New Beetle, um carro projetado sobre a base do Golf, mas com concessões estéticas que o tornaram ruim de espaço interno e ergonomia.

Talvez o sinal mais claro da mudança de frequência no mercado seja o fato de a Volks escolher um utilitário esportivo para seu lugar na fábrica de Puebla, o Tarek. Sim, o mesmo que será produzido na Argentina e chegará ao Brasil em 2021. Nesse caso, o foco é o mercado norte-americano, para onde o finado Beetle também era exportado.

Mas terá sido o fim do Fusca? Pouco provável. Agora é hora de colocá-lo no “arquivo” e esperar por uma futura e quase certa nostalgia pelo famoso automóvel alemão.

 

Este sim deixou saudades, o último Fusca original
Este sim deixou saudades, o último Fusca original
Imagem: Divulgação

 

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/