Em meio a escândalo, Passat feito para americanos muda

Nova linha do Passat traz ainda sistemas Android Auto e CarPlay, mas mantém motor a diesel suspeito de fraude

Volkswagen Passat 2016 | Imagem: Divulgação

Apesar de ter sido completamente renovado para a Europa e outros mercados, o Passat em sua versão para os Estados Unidos segue sendo oferecido na mesma geração lançada há cerca de quatro anos. Nesta semana, a Volkswagen anunciou uma reestilização de “meia-vida” para o modelo, que recebeu ainda aprimoramentos no interior, com direito a novos equipamentos.

O Volkswagen Passat 2016 recebeu linhas mais agressivas, mas segue com a mesma essência da linha anterior. Entre as novidades, há faróis mais afilados, grade com quatro filetes cromados, capô redesenhado, novos para-choques, lanternas menores e detalhes cromados. Em todas as versões, o sedã traz faróis de LED.

Pela primeira vez, o Passat vai oferecer por lá a opção do pacote R-Line, que inclui para-choques diferenciados, detalhes de acabamento na cor preta, saias laterais, difusor traseiro e rodas de liga-leve de 19 polegadas com pneus 235/40.

Já no interior, o Volkswagen recebeu um novo painel de instrumentos, novo volante, painel com acabamento em dois tons, detalhes cromados e em preto piano e novo sistema de entretenimento VW MIB II. Entre os opcionais, o carro agora oferece bancos traseiros com aquecimento e porta-malas com “Easy-Open”, que é aberto apenas passando o pé embaixo do para-choque.

A nova central multimídia agora oferece controles por gestos, como movimento de pinça para zoom, e sensor de proximidade, que detecta quando uma mão se aproxima e muda automaticamente o conteúdo da tela para permitir uma melhor seleção. Há ainda sistema Car-Net, com a tecnologia App-Connect, que inclui o Apple CarPlay, Android Auto e MirrorLink para a integração com smartphones.

Na segurança, o Volkswagen Passat 2016 agora oferece de série o sistema de frenagem pós-colisão e câmera de ré. Dependendo da versão, o modelo conta com controle de cruzeiro adaptativo, aviso de colisão frontal, monitoramento de ponto cego traseiro com alerta de tráfego, frenagem de emergência, entre outros.

A gama de motores continua sem mudanças, com três opções: 1.8 TSI e 3.6 VR6 ambos a gasolina, além do 2.0 TDI, a diesel, e suspeito de ter burlado o teste de emissões de poluentes, no maior escândalo que a montadora passou em sua história. Quanto aos preços, o modelo de entrada segue sem aumentos, disponível por US$ 22.440 (cerca de R$ 90,8 mil). Resta saber se os americanos continuarão confiando no Passat feito para eles depois de descobrir que seus carros poluem mais que o informado.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!