'Etios será superior ao Gol', diz Toyota

Compacto inédito chega no final do ano em quatro versões de acabamento e dirigibilidade parecida com a do Corolla

Etios anda pela Marginal Pinheiros, em São Paulo | Imagem: Antonio Carlos Laky

A Toyota não esconde o otimismo em relação ao seu mais ambicioso veículo para o Brasil. O compacto Etios, que a marca lançará em meados do segundo semestre, terá um padrão muito superior ao de concorrentes como o Gol. Quem garantiu isso foi um alto executivo da empresa, ouvido pelo AUTOO numa conversa informal no Salão de Genebra.

“O jeito de dirigir lembra o Corolla”, explicou o funcionário, empolgado com o trabalho da engenharia da montadora. O Etios, flagrado nas fotos ao lado pelo leitor Antonio Carlos Laky em plena Marginal Pinheiros, em São Paulo, terá versões hatch e sedã e motores 1.0 e 1.6. É o primeiro veículo que a Toyota cria especialmente para mercados emergentes. Daí a grande expectativa gerada, já que a marca não tem o costume de vender produtos que não sigam seu exigente nível de qualidade.

“Não tenho dúvida que nosso carro será muito superior ao Gol e ao Uno”, confessou nosso interlocutor. “Quebramos até uma tradição na empresa ao chamar uma empresa para avaliar o carro. Isso gerou preocupação internamente, mas foi fundamental para identificar pontos em que poderíamos melhorar o produto ainda mais”, disse.

Segundo o executivo, o Etios terá quatro versões de acabamento, duas para o 1.0 e duas para o 1.6. Por falar nos motores, eles serão importados do Japão, mas já adaptados para serem bicombustíveis.

Toyota Etios
Divulgação

Visual não empolga, mas Toyota promete padrão de carro médio para o Etios

Começo morno na Índia

No mercado de estréia, a Índia, no entanto, o Etios ainda não empolgou. O sedã e a versão hatch – lá chamada de Liva – venderam em 2011 apenas 63,5 mil unidades, o que lhe conferiu um modesto 15º lugar no ranking local.

A situação não deverá ser muito diferente no Brasil. A Toyota já anunciou que a fábrica de Sorocaba, construída apenas para o compacto, terá capacidade inicial de 70 mil unidades por ano, toda ela direcionada para nosso mercado. Ou seja, se tudo correr como previsto, a montadora japonesa deverá emplacar pouco menos de 6 mil veículos por mês das versões hatch e sedã, algo semelhante ao que a Nissan faz com a dupla March e Versa.

Mas pensar que os planos da Toyota são contidos é um erro. De acordo com o executivo da marca, Sorocaba fará muitos mais carros quando estiver com sua capacidade total: “a planta poderá fabricar 400 mil carros por ano”, revelou, um número muito mais adequado a um dos três maiores fabricantes de automóveis do mundo.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!