Nissan vira 'gente grande' no Brasil

Com dois novos modelos populares, marca japonesa passou a figurar entre as dez maiores montadoras do país

Grade ganhou cromado na versões brasileiras | Imagem: Ricardo Meier

A Nissan já não depende mais de pôneis malditos e outras campanhas polêmicas para crescer em vendas no Brasil. Agora a marca japonesa pode se gabar de ter produtos que dão volume de vendas e, com isso, começa a incomodar outras montadoras maiores do mercado nacional.

Em novembro, por exemplo, ela vendeu 7.906 unidades, volume que é quatro vezes maior do que há dois anos atrás quando emplacou apenas 1.855 veículos. Os responsáveis, claro, são os novos compactos March e Versa que corresponderam sozinhos por quase 40% do total de carros emplacados no mês passado, somando 3.085 unidades.

Veja também: Carro brasileiro equivale em segurança a modelos europeus de 1990

Graças a isso, a montadora assumiu a 8ª colocação no ranking de vendas do último mês e ficou à frente de marcas tradicionais como Peugeot, Citroën e Honda.

A meta da Nissan, no entanto, é mais ambiciosa. Tanto o March quanto o Versa ainda não chegaram ao volume desejado, o que deve elevar seus emplacamentos para mais de 10 mil unidades mensais, o que a colocaria no mesmo nível da Hyundai hoje.

E tem mais. No mês de outubro, a Nissan anunciou um investimento de R$ 2,6 bilhões no Brasil para a construção de sua primeira fábrica exclusiva em Resende, no Rio de Janeiro, e conforme apurou AUTOO um dos produtos que deverá ser montado nessa nova unidade será um inédito crossover anti-EcoSport.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!