Lá fora ele chegou sem essa opção, mas no Brasil a tradição falou mais alto e o EcoSport manteve o estepe externo na segunda geração, lançada em 2012. Segundo a Ford, o brasileiro gosta do detalhe que denota sua vocação off-road, mas é fato que mantê-lo grudado na tampa do porta-malas é algo incômodo para muita gente.

Com quase todas as marcas abolindo essa configuração (uma das poucas exceções é a Suzuki que manteve o estepe do lado de fora no novo Jimny por razões justificadas), era de se esperar que a Ford aceitasse o destino e imagens de protótipos que circulam revelam que esse momento teria chegado.

“Teria” porque argumenta-se por aí que o EcoSport brasileiro não comporta um estepe interno, nem embaixo do piso do bagageiro muito menos por baixo da carroceria como seu rival Duster, por exemplo. Por essa razão a saída para explicar o surgimento da versão é a de que montadora estuda vendê-lo sem pneu de reserva. Em vez disso, um kit de reparo capaz de manter o pneu com alguma pressão até o veículo chegar a um local para reparo.

Para não arriscar, a Ford deverá lançar uma versão especial do EcoSport sem o estepe externo. Com tração 4x4 e visual mais esportivo, ela pode ser mostrada no Salão do Automóvel e servir como laboratório ambulante para medir o retorno do público.
Há esperança que vendo o EcoSport dessa forma muita gente note que o SUV é atraente sem precisar desse artifício.

Certamente ele não perde pontos para muitos concorrentes, todos eles que abdicaram de expulsar o estepe de dentro do carro – até a minivan Spin, que nem SUV é, abriu mão disso felizmente.

Ricardo Meier

Publisher do AUTOO, é o criador do site e tem interesse especial pelo sobe e desce do mercado, analisando os números de vendas de automóveis todos os meses

Ricardo Meier | http://www.jcceditorial.com.br/