Latin NCAP: Sandero evolui, mas modelo produzido na Colômbia pode ser mais seguro que o brasileiro

Mais recente bateria de testes de segurança da instituição mostram também Corolla com nota máxima e HB20 sendo criticado
Acima o Renault Sandero durante avaliação do Latin NCAP

Acima o Renault Sandero durante avaliação do Latin NCAP | Imagem: Divulgação

A Latin NCAP divulgou os resultados da décima e última bateria de testes realizados em 2019. Entre os carros vendidos por aqui, participaram os novos Toyota Corolla, Hyundai HB20 e os Renault Sandero, Stepway e Logan.

O sedã da Toyota conquistou nota máxima (cinco estrelas) tanto na proteção para ocupantes adultos quanto para crianças. A instituição elogiou o Corolla por trazer de série em todas as versões equipamentos como os sete airbags e controle eletrônico de estabilidade e tração. Além disso, o sedã, quando equipado com o opcional de frenagem autônoma de emergência, recebe também o “Latin NCAP Advanced Awards”, que reconhece os carros mais seguros testados.

Outra marca que evoluiu foi a Renault. Após a reestilização da linha 2020, Sandero, incluindo a linha Stepway, e Logan receberam quatro airbags de série, tendo os controles eletrônicos de tração e estabilidade como opcionais. Assim a nova nota para os modelos é de três estrelas para a proteção de adultos e quatro estrelas para a de crianças no banco traseiro.

Como o ESP não é item de série em todas as versões, o modelo não obteve um resultado melhor. No entanto, vale ressaltar que os últimos Sandero e Logan testados, sem airbags laterais, receberam apenas uma estrela na proteção para adultos.

Porém, a Latin NCAP fez uma ressalva dizendo “encontrou diferenças na forma e no volume dos airbags de tórax e de cabeça nas unidades produzidas na Colômbia com as produzidas no Brasil e Argentina. O airbag da versão produzida na Colômbia (volume de 22 litros e maior área de cobertura) oferece uma proteção mais robusta em comparação com os airbags das versões encontradas na Argentina e no Brasil (volume de 18 litros e área de cobertura mais restrita)”.

E as críticas não param por aí. A instituição revelou que foi notada uma diferença no resultado dos impactos laterais na comparação dos modelos fabricados em Brasil e Argentina com os feitos na Colômbia. De acordo com o Latin NCAP, os carros colombianos apresentaram menor intrusão estrutural, ou seja: o dano do impacto foi menor, expondo os ocupantes a menor risco do que nos carros brasileiros e argentinos.

Outra diferença notada pela instituição após os testes de impactos laterais está na estrutura dos bancos. A Latin NCAP afirmou que os bancos de Logan e Sandero colombianos “parecem ter maior robustez” que nos carros vendidos no restante do Mercosul e fabricados no Brasil e Argentina. Procurada pelo Autoo, a Renault do Brasil emitiu o seguinte comunicado, que reproduzimos na íntegra: "A Renault afirma que o modelo Sandero 2020 atende e sempre atendeu plenamente às normas de segurança vigente. Quanto a avaliação feita pelo LatinNcap, afirmamos que a Renault tem compromisso com a qualidade de seus produtos e satisfação de seus clientes, motivo pelo qual está constantemente evoluindo os nossos produtos buscando oferecer um melhor desempenho. Em relação às especificações técnicas entre o modelo produzido na Colômbia e no Brasil, as pequenas diferenças existentes são em função dos fornecedores locais de cada pais, como é prática de vários fabricantes. Importante ressaltar que tais diferenças não alteram os resultados de proteção aos ocupantes, que são os mesmos independentemente da locação produtiva". 

O renovado Hyundai HB20 também foi testado e conquistou quatro estrelas nos testes de impacto para adultos e três para crianças. Único carro dessa bateria de testes a trazer apenas dois airbags de série e com controle de estabilidade apenas opcional, o carro também foi alvo de críticas pela Latin NCAP.

“O modelo mostrou boa proteção para seus ocupantes no impacto frontal, porém durante o impacto lateral a proteção torácica para o adulto foi fraca”, afirmou a instituição em comunicado. Além disso, a sinalização das ancoragens de Isofix não estava de acordo com com os requisitos da NCAP.

A NCAP ainda completou a crítica ao novo HB20 dizendo que “é decepcionante que esse novo modelo não tenha proteção ESC nem proteção para a cabeça lateral de série. Desilude que o HB20 seja o único modelo apresentado pelo Latin NCAP nesta avaliação que não oferece proteção lateral para a cabeça como padrão”. 

 

 

Assine a newsletter semanal do AUTOO!