Inédito Renault Kiger, SUV pequeno derivado do Kwid, é flagrado na Índia

Novo modelo da Renault utilizará arquitetura da Triber que, por sua vez, é uma variante da plataforma do compacto
Flagra do projeto HBC, SUV derivado do Kwid que deverá adotar o nome Kiger

Flagra do projeto HBC, SUV derivado do Kwid que deverá adotar o nome Kiger | Imagem: Zigwheels

A plataforma CMF-A da Renault vem se mostrando bastante flexível. Ela já deu origem ao nosso conhecido Kwid e, na Índia, à versão alongada CMF-A+ que é usada pela Triber, a minivan de sete lugares derivada do compacto. No entanto, a marca está de olho em ampliar a linha ainda mais e a bola da vez será um SUV.

O modelo, que é conhecido até o momento como Renault HBC (nome de projeto), deverá ser um utilitário esportivo compacto que usará por base a mesma arquitetura CMF-A+ aplicada no desenvolvimento da Triber. A novidade foi flagrada em testes na Índia pelo site ZigWheels, mas ainda está rodando com pesadas camuflagens para esconder o resultado final. 

Pelas imagens, é possível notar que a dianteira do SUV do Kwid deverá já trazer a cara apresentada para o facelift do compacto, com conjunto de faróis duplos e bem afilados. A grade frontal também deverá guardar similaridades com o Kwid reestilizado. A traseira mostra iluminação por LEDs, enquanto o corte da tampa é bem reta, provavelmente para evitar que o modelo passe e 4 m de comprimento e possa usufruir de uma taxação menor por lá. Segundo rumores recentes, é possível que esse SUV inédito adote o nome Kiger

Em termos de motorização, ainda não há nada confirmado. Porém, as plataformas CMF-A e CMF-A+ dão suporte ao 1.0 12V de três cilindros já usado tanto na Índia quanto no Brasil. Assim é possível que se mantenha a potência de 72 cv declarada para o mercado indiano. Também é esperada a adoção da variante turbinada desse propulsor que elevaria esse número para cerca de 95 cv. As opções atuais de transmissão para esses propulsores são câmbios manuais ou automatizados, ambos com cinco velocidades.

Em seu amplo processo de reestruturação, a Aliança Renault-Nissan-Mitsubishi adiantou que vai usar como base em seus próximos produtos fabricados no Brasil apenas a plataforma modular CMF-B, que permite o desenvolvimento de modelos um pouco maiores em relação àqueles suportados pela arquitetura CMF-A, como é o caso do Kwid. Apenas como exemplo, a plataforma CMF-B é aplicada na geração mais recente do Renault Clio europeu, logo ela pode sustentar modelos mais sofisticados também por aqui.

Com isso, permanece uma incógnita se o Kiger poderia ser produzido no Brasil. De qualquer forma, o segmento de SUVs/crossovers pequenos vai ganhar força por aqui nos próximos anos. Modelos como o VW Gol e o Ford Ka podem migrar para esse estilo visual como uma tentativa de torná-los mais interessantes para os consumidores, hoje em grande parte seduzidos pelos utilitários esportivos. Como a Renault já teria uma carta na manga para entrar no segmento, o Kiger é um bom modelo para ficarmos de olho. 

Flagra do projeto HBC, SUV derivado do Kwid que deverá adotar o nome Kiger
Flagra do projeto HBC, SUV derivado do Kwid que deverá adotar o nome Kiger
Imagem: Zigwheels