Novos SUVs podem guiar recuperação da Peugeot no Brasil

Marca tem algumas saídas para tornar sua gama de SUVs mais robusta no país
Projeção do Peugeot 2008 com nova dianteira da marca

Projeção do Peugeot 2008 com nova dianteira da marca | Imagem: Kleber Silva/KDesign AG

A Stellantis revelou que tem em seus planos para o Brasil criar condições para que tanto a Peugeot quanto a Citroën voltem a ocupar posições de destaque em nosso mercado.

A julgar pelas movimentações recentes das duas marcas, tudo indica que o esforço da Stellantis começou a ser colocado em prática.

Por parte da Citroën, veremos no segundo semestre deste ano a aguardada estreia do novo C3, que passará de um hatch para um crossover pequeno, abraçando um novo estilo de carroceria que deverá ganhar força nos próximos anos.

A Peugeot, por sua vez, já confirmou para os próximos dias a introdução do facelift para o 3008 no Brasil. Contudo, a marca francesa pode ir bem além em nosso país e ter nos planos boas opções para se tornar mais competitiva por aqui. 

Em primeiro lugar, vale a pena acompanharmos o que a Peugeot prepara em relação ao 2008, modelo que atua no vital segmento de SUVs compactos aqui no Brasil. 

Evoluções para o Peugeot 2008

A fabricação da segunda geração do 2008 (já à venda na Europa) é altamente cotada para ocorrer na Argentina, ao lado da geração mais recente do 208.

Chamado de P24, o projeto do novo 2008 local estava previsto para ser colocado em prática neste ano, porém os abalos da pandemia na cadeia produtiva podem ter atrasado o planejamento da marca francesa.

Outro ponto é que talvez a Peugeot possa ter colocado o pé no freio para a produção regional do novo 2008 talvez com o objetivo de aguardar o facelift para o SUV compacto.

Com uma nova identidade visual inaugurada pelos irmãos maiores 3008 e 5008, é certo que o Peugeot 2008 também receberá a nova dianteira da marca. Usando como base os modelos de porte superior, o designer Kleber Silva preparou algumas projeções sobre o que podemos esperar para a evolução do SUV compacto. 

É fato que a Peugeot precisa se posicionar de forma mais competitiva no segmento. As versões aspiradas do Peugeot 2008, por exemplo, sequer oferecem os controles de tração e estabilidade. Enquanto isso, muitos concorrentes já oferecem assistentes de condução avançados em suas versões topo de linha, como encontramos nas gamas Chevrolet Tracker e Nissan Kicks.

Com um visual muito mais arrojado e fora do comum, algo particular da escola francesa, além de um acabamento interno sofisticado e envolvente, a segunda geração do Peugeot 2008 reúne diversos atributos para se projetar na categoria.

É possível que, em breve, mais informações sobre a produção regional do novo Peugeot 2008 comecem a surgir.

Vem aí o Peugeot 1008?

Outro assunto de grande repercussão envolvendo o futuro da Peugeot diz respeito a um inédito produto que a marca desenvolve para se tornar o seu SUV de entrada.

Já abordamos os detalhes que cercam o projeto do eventual Peugeot 1008, nome que, obviamente, não está confirmado, mas seguiria a lógica dentro do portfólio da marca.

Considerando que a plataforma CMP já se encontra nacionalizada em Porto Real (RJ) para a produção do novo Citroën C3, seria natural apostarmos em uma eventual convivência do crossover compacto da Citroën com o futuro modelo da Peugeot.

Ambos terão porte inferior ao dos SUVs compactos atuais, sendo que a estratégia de diferenciação entre Peugeot 1008 e Citroën C3 poderá ser baseada no nível de conteúdo e preço dos dois modelos.

Considerando que o novo C3 foi desenvolvido na Índia e é um projeto pensado para mercados emergentes, ele poderia ser uma alternativa de preço mais acessível em relação ao 1008. 

Outro ponto é que o novo C3 talvez conte com tamanho na casa dos 4 metros, abrindo espaço para que o Peugeot 1008 gravite em torno dos 4,15 m, com isso oferecendo um comprimento menor em relação à nova geração do Peugeot 2008, que conta com exatos 4,30 m.

A previsão, segundo a imprensa europeia, é que o Peugeot 1008 poderá fazer sua estreia global entre o fim deste ano ou o começo de 2022. Se, de fato, estiver nos planos a oferta da novidade no Brasil, é algo que deverá ocorrer bem depois do início das vendas do crossover na Europa.

Com os reforços na gama, caso se concretizem, a Peugeot passaria a contar com dois ótimoa representantes nas categorias mais promissoras aqui no país. Algo que, certamente, a marca deve considerar.

Projeção de Kleber Silva para o inédito Peugeot 1008
Projeção de Kleber Silva para o inédito Peugeot 1008
Imagem: Kleber Silva