Já datados e sem uma perspectiva de renovação, a Peugeot optou por retirar de linha o hatch médio 308 e o sedan médio 408 de nosso mercado.

A decisão também é amparada pela baixa procura que os dois modelos de médio porte estavam recebendo. Em 2018, o Peugeot 408 emplacou somente 739 unidades. O hatch, por sua vez, foi a escolha de apenas 434 pessoas ao longo de todo o ano passado.

Os modelos já não figuram mais no site comercial da marca, sendo que algumas unidades ainda podem ser encontradas nas concessionárias, algumas delas inclusive destinadas ao público PcD.

Tanto o 308 como o 408 ainda contavam com alguns atributos, como a presença do motor 1.6 THP, com turbo e injeção direta, que conferia bom nível de desempenho a eles.

Contudo, o preço da dupla era elevado demais para modelos com vários anos de mercado. O interior dos dois modelos já pedia por uma renovação e o nível de espaço interno também deixava a desejar em especial quando comparados com modelos mais recentes.

Procurada pelo Autoo, a Peugeot emitiu o seguinte comunicado que reproduzimos na íntegra abaixo:

“A Peugeot do Brasil informa que não mais comercializará os modelos 308 e 408 no mercado brasileiro após o término dos estoques. Esta decisão é fruto da estratégia da Marca no país, que passa a concentrar seu foco no compacto-premium 208 e na mais completa família de utilitários esportivos do mercado, composta pelos PEUGEOT 2008, 3008 e 5008. Além disso, a Peugeot dá continuidade em sua ofensiva VUL, por meio da comercialização dos modelos Partner, Expert e Boxer – a mais completa linha de furgões do mercado brasileiro. Os proprietários dos modelos 308 e 408 seguem com suporte completo da ampla rede de concessionárias da marca, dos programas PEUGEOT TOTAL CARE e RENOVA PEUGEOT, e da linha de peças originais PEUGEOT ADVANTAGE” 

Peugeot 308 2017
Peugeot 308 2017
Imagem: Divulgação

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/