Tecnologia: Mercedes-Benz apresenta o seu volante capacitivo

Novidade vai estrear em breve no Classe E; entenda os diferenciais
Detalhe do novo volante capacitivo da Mercedes-Benz que estreia no Classe E

Detalhe do novo volante capacitivo da Mercedes-Benz que estreia no Classe E | Imagem: Divulgação

Com o surgimento de assistentes de condução mais avançados e a eletrônica a bordo ganhando um enorme espaço nos veículos atuais, operar todos esses sistemas de forma descomplicada pode ser um desafio.

Pensando em facilitar a vida dos motoristas e colaborar com a segurança na condução, a Mercedes-Benz apresentou nesta quarta-feira (6) seu inédito volante capacitivo. A novidade está prevista para estrear no verão europeu cabendo ao Classe E introduzir a tecnologia no mercado.

Além do uso de materiais premium, o volante capacitivo traz como um de seus destaques o sensor de duas zonas no aro da peça, que tem a função de perceber se o motorista está com as mãos posicionadas no volante. O recurso é interessante em especial quando o carro trafega com recursos como o piloto automático adaptativo com o assistente de permanência na faixa de rodagem ativo. Hoje os carros com o recurso precisam sentir o “peso” das mãos no volante para seguir operando. Com o volante capacitivo, por sua vez, os sensores instalados no aro do volante garantem a presença ou não das mãos do condutor no local de uma forma bem mais precisa.

Outro ponto realçado pela Mercedes-Benz é que os controles para as demais funções do volante multifuncional passam a operar de forma capacitiva, com isso eliminando teclas ou botões físicos. A vantagem, explica a fabricante alemã, é tornar a operação do volante mais próxima com a de um smartphone, inclusive adotando símbolos semelhantes aos dos aparelhos de comunicação móvel e controle de algumas funções por gestos.

De acordo com a Mercedes, o sistema reconhece automaticamente onde está o dedo do motorista no volante e as peças sensíveis ao toque foram projetadas para suportar temperaturas acima de 100º C.

Um pouco de história

Até chegarmos ao volante capacitivo desenvolvido pela Mercedes, a história da peça registra um longo processo de evolução.

Enquanto os primeiros veículos motorizados utilizavam apenas uma haste para direcionar as rodas, o engenheiro francês Alfred Vacheron é considerado o inventor do volante como o conhecemos.

Ele foi pensado por Vacheron para o Panhard & Levassor com que participou da primeira corrida automotiva do mundo, ocorrida de Paris a Rouen em 1894. Como é facilmente notado hoje em dia, o volante permitiu um controle direcional muito superior ao automóvel, algo fundamental para a condução em altas velocidades.

A partir daí o volante foi se tornando cada vez mais sofisticado. Nos anos 1950 foi a vez da introdução do câmbio na coluna de direção, liberando mais espaço para os ocupantes. Pensando na segurança, na década de 1960 foi a vez da introdução da coluna de direção deformável, que evitava ferimentos mais graves ao motorista em caso de acidente.

Em dezembro de 1975, por sua vez, o volante recebeu um avanço importante para o conforto com o introdução do controlador de velocidade (piloto automático). Em 1981, o volante recebe um aliado fundamental para levar a segurança passiva a um novo patamar. Estamos falando do primeiro airbag instalado em um automóvel.

No fim da década de 1990, mais precisamente em 1998, o volante multifuncional estreou no Mercedes-Benz Classe S.

Um pouco de história: acima o volante do Mercedes Simplex
Um pouco de história: acima o volante do Mercedes Simplex
Imagem: Divulgação

Assine a newsletter semanal do AUTOO!