Como abordamos em um especial aqui no Autoo, a PSA partiu para a briga no segmento dos SUVs compactos dedicando uma atenção especial ao custo-benefício de seus representantes. Assim é com o Citroën C4 Cactus e, da mesma forma, notamos a mesma estratégia para o Peugeot 2008, tema de nossa avaliação neste teste.

Para manter o modelo mais aquecido na mídia, a Peugeot optou por escalonar o lançamento do 2008 em sua linha 2020, dando uma atenção especial para as versões mais acessíveis do modelo nessa primeira fase e trabalhando, posteriormente, com a versão topo de linha equipada com o motor 1.6 THP e câmbio automático.

Com isso, o Peugeot 2008 parte de agressivos R$ 69.990 na versão Allure, já com câmbio automático e motor 1.6 16V aspirado de até 118 cv. Com isso, a Peugeot praticamente oferece a mesma versão que antes era destinada aos clientes PcD e a torna passível de compra para o público em geral.

Honestamente falando, temos aqui uma das versões mais interessantes para o Peugeot 2008 a partir de agora. Sua falha é não contar com os controles de tração e estabilidade sequer como opcionais, mas ao menos o Peugeot 2008 Allure sai de fábrica com 4 airbags, volante multifuncional e uma boa central multimídia com suporte aos sistemas de espelhamento para smartphones Apple CarPlay e Android Auto. Também completam a lista o limitador e regulador de velocidade, trio elétrico, ar-condicionado, direção elétrica e outros.

Se a ideia é economizar na hora de escolher um SUV, o 2008 Allure é tão bem resolvido que não se justifica pagar R$ 15.500 na opção imediatamente superior Allure Pack (R$ 85.490), que acrescenta apenas os faróis de neblina, volante com revestimento de couro, câmera de ré, rodas de liga leve aro 16” com acabamento diamantado e alarme perimétrico. O mesmo raciocício aplica-se para a opção Griffe (R$ 91.990 com motor 1.6 aspirado), uma vez que seu preço fica muito próximo ao do 2008 topo de linha, no caso o Griffe THP (R$ 99.990), o qual oferece desempenho muito superior graças ao motor turbo e também é o único na gama a contar com os controles de tração e estabilidade.

Além do custo-benefício, outro ponto forte do Peugeot 2008 Allure frente a outros rivais vai para o habitáculo diferenciado, com o interessante conceito do iCockpit e o seu painel em uma linha de visão ligeiramente acima do volante. O padrão de acabamento do Peugeot 2008 também agrada.

 
 
Peugeot 2008 2020
 
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
 
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
 
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
 
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
 
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
 
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
 
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
 
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
 
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
 
Peugeot 2008 2020
Peugeot 2008 2020
 
 

Uma pena que o modelo poderia oferecer uma cabine mais ampla, em especial para os passageiros do banco traseiro. Adultos mais altos que ocupam a segunda fileira de assentos vão sentir que o espaço ali é bem restrito, faltando até um pouco mais de conforto. O porta-malas do modelo, com 355 litros de acordo com o padrão VDA tradicionalmente utilizado, está apenas na média do segmento. Logo, no aspecto espaço interno e porta-malas, modelos como o Hyundai Creta e o Nissan Kicks, que também contam com versões automáticas mais acessíveis, são opções melhores para quem precisa efetivamente de um habitáculo maior. Tudo isso foi corrigido na nova geração do Peugeot 2008, porém ela ainda demora um pouco para chegar aqui e o preço também será bem superior.

Ao volante, o 2008 1.6 aspirado agrada pelo comportamento mais esportivo, fruto da direção com respostas rápidas e o acerto de suspensão coerente com nosso piso. Com layout McPherson na dianteira e eixo de torção nas rodas traseiras, a calibração do conjunto é muito boa e a suspensão de uma maneira geral mostra-se robusto para as condições de nossas vias.

Em termos de desempenho, o Peugeot 2008 com sua motorização aspirada é apenas razoável – como sugere o 0 a 100 km/h na casa de 12,5 segundos – assim como seus concorrentes diretos quando equipados com propulsores de deslocamento semelhante. O câmbio automático de 6 marchas cumpre bem seu trabalho, sendo que as médias de consumo oficiais na casa de 10,7 km/l na cidade e 13 km/l na estrada com gasolina são aceitáveis. No quesito baixo consumo, o Nissan Kicks com motor 1.6 16V e transmissão CVT gasta bem menos combustível.

Em resumo, o Peugeot 2008 nas suas versões de entrada pode figurar como uma compra a ser considerada se você tem um perfil muito mais racional do que emocional, priorizando o menor gasto financeiro na hora de comprar um carro e deseja um SUV. Por menos de R$ 70.000, a versão Allure é uma pedida que se encaixa como uma luva sob esse aspecto. 

 

 

Ficha técnica

Peugeot 2008 2020 Allure 1.6 16V flex automático 4p
Categoria SUV compacto
Vendas em 2017 10.572 unidades
Motor 4 cilindros, 1587 cm³
Potência 115 cv a 5750 rpm (gasolina)
Torque 16,1 kgfm a 4000 rpm
Dimensões Comprimento 4,159 m, largura 1,739 m, altura 1,583 m, entreeixos 2,542 m
Peso em ordem de marcha 1212 kg
Tanque de combustível 55 litros
Porta-malas 355 litros
Veja ficha completa

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/