Todos contra o Gol

Concorrência ficará mais acirrada no segmento de hatches compactos com a chegada de novidades em breve

Novos rivais para o VW Gol estão a caminho | Imagem: Reprodução

Modelo mais vendido do Brasil nos últimos 25 anos, o Volkswagen Gol passou neste mês pela sexta revitalização visual e de conteúdo em 32 anos de existência. Com números de vendas muito expressivos, o hatch teve 143.758 unidades emplacadas de janeiro até a primeira quinzena de julho, segundo a Fenabrave (Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores).

Para se ter uma ideia de sua importância, no primeiro semestre do ano suas vendas representaram 7,7% do total de automóveis e comerciais leves emplacados no País, que somaram 1.638.044 unidades, segundo a Anfavea (Associação Nacional  dos Fabricantes de Veículos Automotores). Mas essa fatia já foi maior. Em 2008, por exemplo, as vendas do Gol representaram 12,2% dos emplacamentos.

Mas até quando a majestade da Volkswagen vai manter seu reinado? De olho nesse segmento de alto volume de vendas, outras montadoras estão ávidas para ajudar a repartir esse bolo e preparam lançamentos para breve. Outras, que já disputam espaço nesse mercado, também prometem novidades ou apresentaram mudanças recentemente.

O lançamento mais próximo será nos dias 6 e 7 de agosto em Brasília. A nova geração do Citroën C3 seguirá o estilo do C3 europeu, mas terá detalhes exclusivos, como os faróis de LED e novas rodas aro 16”. O desenho do interior também será diferente para o hatch fabricado em Porto Real (RJ), com painel, bancos e console de aspecto mais sofisticado. Alguns detalhes da cabine remeterão ao DS3, como é o caso da direção e dos instrumentos dispostos em três relógios. A Citroën também deslocou os botões de acionamento dos vidros elétricos do vão central para as portas.

As opções de motorização serão os blocos flexíveis 1.5 8V de 93 cv e  14,2 kgfm de torque e o 1.6 16V Flex Start (que dispensa o tanquinho de gasolina), de 122 cv e 16,1 kgfm. A primeira opção de motor vem associada somente ao câmbio de cinco marchas, ao passo que o modelo mais potente pode receber caixa manual ou automática sequencial de quatro velocidades, com borboletas atrás do volante para trocas manuais.

Embora seja um hatch premium, com preço acima do praticado pelo modelo da Volkswagen, que custa a partir de R$ 27.990, o frescor da novidade pode respingar um pouco no veterano da montadora de origem alemã.

Toyota, Hyundai e Renault

Em setembro, será a vez da estreia da Toyota entre os hatches pequenos, com o Etios. Com visual não muito atraente e equipado somente com motor 1.3, o carro foi avaliado por AUTOO no Japão e demonstrou ter propulsor barulhento, pois com essa capacidade volumétrica  tem de fazer mais força para se deslocar. Ele sofre um pouco nas arrancadas, mas oferece conforto ao rodar devido à suspensão bem acertada entre o macio e o rígido, um ajuste que pode agradar ao público brasileiro em cheio.

O Hyundai HB20, por sua vez, será a novidade de outubro. O primeiro modelo da marca criado especificamente para o Brasil superou qualquer expectativa positiva na avaliação feita pelo AUTOO em Piracicaba.

A sigla “HB” é uma referência a “Hyundai Brasil” e o número “20” identifica a plataforma global do carro, atualmente também aplicada na geração mais recente do compacto i20 na Europa. Já o design da carroceria, como a própria Hyundai explica, segue o estilo “escultura fluida”, caracterizado por linhas acentuadas e traços até ousados para a categoria.

Quando chegar às concessionárias, o HB20 contará com as opções de motorização 1.0 e 1.6. O motor maior poderá ser associado a transmissão manual de cinco marchas ou automática de quatro velocidades. A Hyundai, todavia, ainda não divulgou as especificações dos propulsores, tampouco os números de desempenho.

Também está próxima a chegada do Clio reestilizado, que deverá ocorrer em outubro, possivelmente durante o Salão de São Paulo. Enquanto o modelo está na quarta geração na Europa, na América do Sul a Renault prepara mais uma reestilização da segunda geração, que está em produção na região desde 1999. O modelo hoje faz o papel de carro de entrada da marca, mas já tem visual desgastado. A montadora poderá usar componentes da linha Logan para reduzir custos e conseguir manter seu preço competitivo.

Onix

Um dos modelos mais esperados nesse segmento é o Chevrolet Onix, que deve chegar no fim do ano. Para bater de frente com o Gol, a GM aposta num projeto com ares bastante esportivos, como antecipado em projeção feita pelo AUTOO. “Ele lembra o Gol”, nos disse uma fonte que viu o hatch recentemente. As ilustrações que AUTOO produziu com exclusividade mostram um veículo com para-lamas saltados, faróis afilados e uma traseira volumosa com direito a um spoiler de série. A grade dividida, característica da Chevrolet, é mais discreta que a do Agile, por exemplo, o que mostra a evolução no design e na construção do modelo, que poderá roubar clientes do “irmão”.

O público-alvo do Onix será o jovem que atualmente não tem grandes opções baratas na marca. Os motores serão os mesmos 1.0 e 1.4 da GM, mas com melhorias para consumir menos combustível. Os componentes do Onix serão em grande parte os mesmos dos modelos Cobalt, Spin e Sonic, já que eles compartilham a mesma base, surgida sobre o Opel Corsa D europeu. Isso significa um carro com dirigibilidade apurada, boa posição de dirigir, bom nível de equipamentos (dependendo da versão) e acabamento honesto, mas sem sofisticação.

Peugeot 208 e Ford Ka

Em 2013, a Peugeot começará a comercializar o 208, que será mostrado no Salão de São Paulo. Lançado no começo do ano na Europa, o hatch será produzido em Porto Real (RJ), e será mais leve e compacto que o 207, além de contar com peças “verdes”. O modelo adota o novo DNA da marca, com traços mais retilíneos e elementos no formato de bumerangue.

A Ford também prepara a nova geração do Ka, que deverá ganhar também a configuração sedã. A versão de entrada terá inédito motor 1.0 de três cilindros aspirado, adaptado da nova família Ecoboost, mas flexível e sem turbo. Há rumores de que também está em estudo adotar o motor 1.25 Sigma, que teria cerca de 80 cv de potência.

No páreo

Também continua no páreo para abocanhar mais espaço entre os hatches pequenos o novo Fiat Palio, que mudou em novembro e garantiu 87.696 emplacamentos de janeiro até a primeira quinzena de julho.

Outro que vai bem na disputa é o novato Nissan March. Importado do México e isento do IPI elevado, o principal trunfo do compacto é o nível de equipamentos: ele vem de fábrica com airbag duplo frontal, direção com assistência elétrica e computador de bordo já na versão de entrada. No acumulado do ano, foram 23.890 emplacamentos.

Armas do Gol

Agora revitalizado, com cara nova e interior reformulado, o Gol aposta não apenas no visual, mas também em equipamentos e acabamento mais sofisticados para não perder espaço diante dos rivais que estão chegando. As principais mudanças no desenho estão na parte frontal, que ganhou linhas mais pronunciadas no capô e grade, além de para-choque com aspecto mais requintado. Na traseira mudam o design das lanternas, a tampa do porta-malas e, mais uma vez, o formato do para-choque, que possui ainda novo refletor.

A linha 2013 do carro pode acompanhar o pacote BlueMotion Technology, que acrescenta ao veículo pneus de baixa resistência a rolagem, avisos eletrônicos sobre modo econômico de condução e motor 1.0 flex com ajustes especiais para reduzir o consumo de combustível. Segundo a VW, o kit torna o carro até 4% mais eficiente.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!