Volkswagen concede divórcio à Suzuki

De acordo com a agência Automotive News, alemã não considera marca japonesa como parte do conglomerado

Volkswagen é a nova sócia da Suzuki | Imagem: Montagem

Depois de várias brigas, a Volkswagen finalmente declarou que não é mais possível continuar com o “casamento” estabelecido com a Suzuki em 2009. De acordo com a agência de notícias Automotive News, o grupo alemão não considera mais a marca japonesa como parte do conglomerado, tanto que hoje ela aparece na lista de “outros negócios” do grupo.

Do outro lado, a Suzuki apenas confirmou o fim da parceria, declarando que espera que o grupo Volkswagen coloque à venda os 19,9% de ações que possui.

Os motivos do “divórcio” são vários, mas o que mais causou a discórdia entre as duas marcas foi o fato de a Volkswagen querer interferir de forma significativa nas decisões da Suzuki, seja de forma financeira ou operacional. A montadora alemã também não teria demonstrado interesse em fazer intercâmbio de tecnologia e projetos em conjunto com a marca japonesa.

Mas a gota d’água aconteceu em junho, quando a Suzuki decidiu comprar o motor Multijet 1.6 do grupo Fiat e foi acusada por quebra de contrato pela Volkswagen, sendo que a própria alemã decidiu mantém uma parceria com a Chrysler (agora do grupo Fiat) que visa continuar com a fabricação da minivan Routan na fábrica da marca americana no Canadá. Só para refrescar a memória, esse modelo compartilha mecânica, motor e vários componentes com a Chrysler Town and Country e Dodge Gran Caravan.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!