Quem olha atualmente o ranking de vendas dos sedans compactos pode ter a atenção capturada por um detalhe interessante: o baixo número de emplacamentos que o Fiat Cronos registra no ano.
Como é possível notar, ao longo dos três primeiros meses de 2019 o Cronos respondeu por 5.482 unidades comercializadas no período, registrando uma discreta 9ª colocação no ranking do segmento. Chama a atenção ainda o fato de que o veterano Fiat Grand Siena, que ainda preserva elementos do Palio, registrou, no mesmo período, 4.509 emplacamentos. Com isso, o sedan ficou logo atrás do Cronos no levantamento de vendas da categoria.

Em que pese o fato do Fiat Cronos não contar com uma opção “popular”, ou seja, movida por um propulsor 1.0 aspirado, alguns modelos lançados na mesma época e com proposta semelhante estão se saindo de uma forma muito melhor no segmento. Um ótimo exemplo disso é o VW Virtus.

No primeiro trimestre deste ano, o Virtus só ficou atrás do líder Chevrolet Prisma em vendas, somando 9.780 unidades colocadas nas ruas no caso do sedan compacto da VW. O Toyota Yaris Sedan, outro modelo de proposta premium como Cronos e Virtus, está se saindo bem melhor do que o Fiat. De janeiro a março deste ano, o Yaris Sedã conseguiu se estabelecer com folga na quarta posição do ranking de vendas.

O que falta, então, ao Fiat Cronos?

Se compararmos o Fiat Cronos com o que VW Virtus e Toyota Yaris Sedã conseguiram até aqui no segmento de sedans compactos, talvez a principal razão pela qual o Fiat ainda não deslanchou em vendas diz respeito a um ponto fundamental em qualquer carro: o conjunto mecânico.

No caso do Volkswagen Virtus, a marca alemã soube trabalhar muito bem as versões mais caras de seu sedan equipando-as com o eficiente motor 1.0 TSI. Graças ao turbo e à injeção direta, o motor mesmo sendo bem menor do que o 1.8 presente no Cronos Precision consegue oferecer um torque superior, além de contar com um consumo bem mais comedido.

Se colocarmos lado a lado as versões Precision 1.8 automática no caso do Cronos e a Comfortline 1.0 TSI do Virtus, ambas gravitando na faixa de R$ 75.000, encontramos um conteúdo de itens de série parecido, porém basta analisar as fichas técnicas dos dois modelos para confirmar o que foi dito no parágrafo anterior. Enquanto o 1.0 TSI entrega até 128 cv e 20,4 kgfm de torque ao Virtus, permitindo a ele alcançar médias de até 11,2 km/l na cidade e 14,6 km/l na estrada com gasolina, o 1.8 16V do Fiat Cronos proporciona ao sedan 139 cv de potência e 19,3 kgfm de torque, com consumo oficial de 10,3 e 13,3 km/l, respectivamente, também com gasolina. Mesmo com start-stop o Fiat Cronos 1.8 automático não consegue se igualar ao Virtus 1.0 TSI em termos de consumo.

Outro ponto que a Fiat precisa rever urgentemente é a versão Drive 1.3 GSR. O câmbio em questão, que adota a tecnologia automatizada, permite ao Cronos nessa versão um preço bem competitivo, porém esse tipo de transmissão caiu em desuso no Brasil em especial pela falta de suavidade quando opera no modo Drive. Longe de oferecer as trocas tão suaves quanto uma caixa automática convencional, é até possível aceitarmos esse tipo de transmissão em um carro mais acessível como é o caso do Fiat Mobi, porém, em um carro de valor e proposta superiores como se enquadra o Cronos, dificilmente o público consumidor de modelos do segmento ainda aceita esse tipo de transmissão. Voltando ao Virtus, a Volkswagen foi mais feliz em equipar o modelo com a mesma caixa automática de 6 marchas presente nas versões turbo também para o motor 1.6 16V oferecido na opção intermediária do sedan.

O motor 1.3 Firefly é competente e cai muito bem ao Cronos, como constatamos na opção manual, porém é fato que o público brasileiro demanda cada vez mais a transmissão automática. Portanto, para qualquer modelo que deseja conquistar bons números de venda, esse é um item primordial.

Marca que é muito antenada com as demandas do mercado, certamente a Fiat já identificou essas questões envolvendo o Cronos e vai lançar, muito provavelmente já no próximo ano, seus motores turbo aqui no Brasil com deslocamentos de 1.0 e 1.3 litro. As novidades devem figurar nas linhas 2021 de Argo e Cronos.

No quesito câmbio, as gamas Argo e Cronos também serão beneficiadas com a chegada do câmbio automático também para o motor 1.3 Firefly, sendo que a adoção de uma caixa CVT também está em estudo pela Fiat Chrysler aqui no Brasil. O caminho adotado, contudo, dependerá dos custos e vantagens que cada uma das transmissões poderá oferecer.

Com motores e câmbios mais adequados ao que se espera de um carro moderno como é o caso, o Fiat Cronos deverá galgar várias posições no ranking de vendas. Ele já conta com muitos atributos positivos, só precisando mesmo aprimorar a parte mecânica.

 
 
Fiat Cronos 2019
 
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
 
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
 
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
 
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
 
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
 
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
 
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
 
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
 
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
 
Fiat Cronos 2019
Fiat Cronos 2019
 
 
César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |