Fiat pode ser a marca que vai democratizar os carros elétricos

Marca italiana conta com planos interessantes para o médio prazo
Fiat Concept Centoventi

Fiat Concept Centoventi | Imagem: Divulgação

Na medida em que a propulsão elétrica passa a se consolidar como a nova referência para o futuro, é fato que diversas montadoras também estudam formas de tornar esses automóveis acessíveis a um público maior de consumidores. 

Iniciativas interessantes estão começando a surgir. Aqui no Brasil, por exemplo, já temos o JAC E-JS1 posicionado como o elétrico mais acessível à venda no país por R$ 164.900. A Renault também prepara-se para comercializar por aqui o Kwid E-Tech, opção 100% elétrica do compacto que deverá ter posicionamento de preço semelhante (ou quem sabe até melhor) em relação ao JAC. 

Novas informações, contudo, dão conta de que a Fiat não medirá esforços para também investir em elétricos ainda mais acessíveis em um futuro próximo. 

A partir de 2023, 2024, vocês poderão ver uma ofensiva sem precedentes por parte da Fiat no segmento de elétricos. A marca tem a ‘obrigação’ de lançar um elétrico que custe o mesmo ou até menos do que um carro a combustão equivalente assim que possível, em linha com a redução do custo das baterias”, declarou, ainda em 2021, o CEO global da Fiat, Olivier François. A fala do executivo é uma clara referência à história da Fiat em produzir automóveis populares e de fácil alcance por parte do público. 

Aqui no Brasil, por enquanto, a Fiat comercializa apenas o 500e como seu modelo puramente elétrico por R$ 255.990, algo que ainda está longe da realidade de grande parte dos consumidores. 

Projetos 364 e CC4

Futuros projetos da marca, contudo, prometem atacar em cheio a questão do preço elevado e poderiam ser excelentes opções também para o mercado brasileiro. 

Em 2023, por exemplo, a Fiat deverá lançar o produto resultante de seu atual projeto 364, que deverá ser um crossover de pequeno porte. 

O modelo vai estrear com propulsão térmica em abril do ano que vem, segundo apurações recentes, e já deverá ganhar a companhia de uma configuração completamente elétrica no mês seguinte ao lançamento global. Já em 2024, o crossover em questão receberá a adição de um catálogo híbrido-leve ao portfólio. 

É esperado que a novidade já terá o seu projeto desenvolvido sobre a nova plataforma e-CMP, a qual permitirá dimensões maiores em relação ao 500e, por exemplo, com ganhos no espaço interno aos passageiros e também no compartimento de bagagens. 

Outro futuro elétrico importante dentro da estratégia da Fiat será o projeto CC4, que nada mais é do que a versão final do conceito Centoventi. O modelo, inclusive, é apontado como o potencial sucessor do Panda, compacto de muito sucesso comercial da Fiat na Europa e que serviu de inspiração para o nosso Uno aqui no Brasil na década de 1980. 

Buscando otimizar soluções para reduzir ao máximo seu preço aos consumidores, o Centoventi foi apresentado com algumas ideias interessantes, como a modularidade de conjunto de baterias. Quem quiser um carro mais barato, poderá optar pelo modelo com apenas uma bateria. Já quem precisa de autonomia superior, poderá adicionar outros módulos diretamente na concessionária. 

Em suas metas globais, a Stellantis estabeleceu que, por volta de 2025, terá aproximadamente 98% de seus modelos disponíveis com uma opção híbrida plug-in e/ou 100% elétrica. 

Já entre 2025 e 2030, a Fiat seguirá em seu esforço para se tornar uma marca completamente elétrica nos mercados onde a infraestrutura e demais condições permitirem. 

Portanto, vale a pena acompanharmos de perto as iniciativas da Fiat envolvendo sua futura gama de carros elétricos mais acessíveis. 

Enquanto a nacionalização de veículos com esse tipo de propulsão ainda é um tema que engatinha por aqui, ao menos esses elétricos concebidos para difundir a tecnologia a um público maior de consumidores poderiam ser importados com valores mais competitivos.

Fiat 500e já comercializado no Brasil
Fiat 500e já comercializado no Brasil
Imagem: Divulgação