A Ford tirou de linha as versões com motor flex da Ranger. As versões XLS 4x2, XLT 4x4 e Limited 4x2 eram equipadas com motor 2.5 de 173 cv e câmbio manual de cinco marchas. Agora a montadora, que também vai vender a fábrica de São Bernardo do Campo, vai comercializar apenas unidades com motores diesel, sendo equipadas com um 2.2 de 160 cv e 3.2 de 200 cv, ambos com quatro cilindros e que podem estar acoplados a transmissões mecânica ou automática (todas com seis marchas).

As versões que saem de linha partiam de R$ 110.490 para a XLS 4x2, R$ 121.590 na XLT 4x4 e R$ 128.670 na top Limited 4x2. Agora a unidade mais em conta é a 2.2 diesel XLS 4x2 por R$ 128.250. A mais cara continua sendo a Limited 4x4 automática com propulsor 3.2 e não sai por menos de R$ 188.990.

Com isso a Ford reduz o número de opções de Ranger de oito para apenas cinco, como é possível ver no site da montadora as demais versões.

Vendas pífias

A opção por eliminar a Ranger flex do seu portffólio era esperada. As vendas da picape com motor bicombustível eram pífias ultimamente. Em fevereiro, por exemplo, a Ranger 2.5 teve apenas 58 emplacamentos ou 4% do total da picape. A versão diesel 2.2 foi a mais vendida com 54% e a 3.2 ficou com os 42% restantes. De tempos para cá, o mercado de picapes média pendeu para os motores turbodiesel como nunca. Prova disso é a liderança da Hilux após um período em que a S10 era a 1ª colocada, apoiada em suas versões flex.

Será que teremos redução do número de versões de outros carros da Ford? Fiesta, Focus e Ranger flex deixam de ser produzidos. É bom que pare por aí.

Vinicius Montoia

Formado pela PUC-SP em jornalismo, Vinicius já atua no setor automobilístico desde 2013. É criador do canal Narração Esportiva do Youtube, projeto que conta a história dos maiores narradores esportivos do país

Vinicius Montoia | https://www.youtube.com/channel/UC2lKRtZdmSdMRJZ8Pim78Fw