Mais 7 modelos nacionais devem sair de linha entre 2021 e 2022

Novas normas de emissões e questões produtivas figuram entre os motivos
Honda Fit 2019

Honda Fit 2019 | Imagem: Divulgação

O ano de 2021 está promovendo algumas revoluções no mercado automotivo nacional, em especial envolvendo modelos com produção local. Segundo noticiamos em abril, até o mês passado seis modelos já haviam sido descontinuados, quando a Volkswagen acrescentou o up! na lista. É fato que o fim das atividades de manufatura da Ford também foi um duro golpe no setor, que de uma só vez viu a produção de Ka, Ka Sedan e EcoSport encerrarem abruptamente. 

Mas ao longo da segunda metade de 2021 e já avançando para 2022, a quantidade de veículos que deverá ser descontinuada pode aumentar significativamente. Como relatou o colunista Fernando Calmon em duas oportunidades aqui no AUTOO, uma das questões que está levando as fabricantes a adequarem seus portfólios diz respeito à entrada em vigor das novas normas de emissões e ruído preconizadas pelo Proconve PL 7, que começa a vales a partir de janeiro de 2022. Claro que também devem ser levados em consideração todos os efeitos da pandemia no setor automotivo, bem como a “dinâmica de oferta de produtos e razões industriais para abrir espaço a versões mais evoluídas”, pontuou o colunista em um de seus textos. 

Com isso, apurou Calmon, o Proconve PL 7 deverá forçar a retirada de linha dos Fiat Uno, Doblò e Grand Siena até 31 de dezembro deste ano, porém talvez permanecendo algumas unidades em estoque que poderão ser adquiridas ao longo dos primeiros meses de 2022. Atualmente o Fiat Doblò é um dos raros veículos produzidos no Brasil com 7 lugares, contudo o projeto já muito defasado e a ausência de recursos desejados pelo público, como o câmbio automático, pouco justificam a continuação da multivan hoje em dia no mercado. O sedã Grand Siena até procurou se reinventar como uma opção para motoristas de aplicativo, saindo de fábrica preparado para receber GNV, porém a cabine apertada do modelo (apesar do bom porta-malas para mais de 500 litros) e a falta itens de segurança, como o controle de estabilidade, também dificultava sua participação de mercado frente a sedãs compactos bem mais modernos.   

Ainda de acordo com o colunista, o Volkswagen Fox também é outro veterano que deverá se despedir do mercado em dezembro deste ano. Hoje o Fox é uma alternativa para quem busca o melhor custo-benefício em um hatch com motorização acima do segmento de entrada, contudo, assim como é visto em outros modelos com projetos de idade mais avançada, a falta do ESP é algo que não joga a favor do hatch. Os primos Gol, Voyage e Saveiro, entretanto, devem seguir em linha até 2024, quando a exigência dos controles de tração e estabilidade de série deverão abrir caminho para os sucessores do trio. 

Já avançando para 2022, segundo apuração do colunista a CAOA deverá encerrar a montagem local do Hyundai ix35, talvez abrindo espaço para um modelo mais moderno. Vale destacar que a empresa já produz por aqui o Hyundai New Tucson, uma interessante opção dentro do segmento de SUVs médios. 

Por fim, na gama Honda, teremos algumas movimentações profundas. Como havíamos antecipado com exclusividade, o sedã médio Civic será descontinuado em 2022, mesmo caminho que o Fit deverá seguir por aqui. Para substituir os dois produtos, a gama City passará a contar com uma relevância bem maior. Enquanto a nova geração do City sedã deve ser lançada até o fim deste ano, caberá ao inédito City hatchback atender os consumidores do Fit por aqui a partir do ano que vem. Para tanto, o modelo vai preservar itens de destaque no monovolume atual, como o prático sistema de rebatimento dos bancos. 

Com um projeto orientado aos mercados emergentes, o City hatchback permitirá que a marca ofereça um modelo com custo-benefício mais competitivo, em especial porque a nova geração do Fit evoluiu consideravelmente e poderia se tornar um modelo carro demais para a realidade do nosso mercado. De qualquer, tanto no City hatchback como no sedã podemos esperar um modelo mais sofisticado, com novo itens de conectividade, segurança e propulsão mais avançada. O modelo, assim como na Índia, deverá trazer sob o capô a mesma estrutura do motor 1.5 com injeção direta hoje presente no Civic Touring nacional, porém sem turbo. Quem parece menos afetado com as mudanças no portfólio da Honda aqui no Brasil é o WR-V, que seguirá comercializado, mas deve passar por uma renovação completa em 2023, talvez subindo de segmento para tornar-se um SUV compacto propriamente dito. 

Fiat Doblò 2020
Fiat Doblò: veterana multivan não acompanhou as evoluções do mercado 
Imagem: Divulgação
Tags