Seja ele o novo Prisma ou Onix Sedan ou ainda um inédito nome, fato é que o próximo sedan compacto da Chevrolet vai lembrar pouco os modelos vendidos hoje no Brasil. A marca apresentou nesta quinta-feira o novo automóvel, que compartilha plataforma e boa parte do visual com o Onix chinês, já revelado.

Sem permitir que os presentes pudessem conhecer seu interior e apresentando uma unidade camuflada, a Chevrolet afirmou que o novo carro terá motor turbo, mas sem especifcar qual volume ele terá. Os motores, diferentemente dos modelos, não serão globais para respeitar leis de emissões e se adequar às características de cada mercado. Trata-se de um carro maior que o Prisma, com entreeixos de 2,6 m, equivalente ao de um Corolla da geração anterior. A Chevrolet afirma que nenhum modelo será substituído pelo novo sedã, ou seja, o Colbalt e Cruze continuam fazendo parte do portfólio da montadora.

A Chevrolet afirma que o Cobalt não será aposentado pois tem grande apelo com o público frotista, por ser um carro com entre-eixos de 2,63 m e porta-malas com 563 litros. Com o novo modelo, a Chevrolet deverá competir num segmento que deve se expandir, o de sedans compactos premium, onde hoje estão o Volkswagen Virtus, o Toyota Yaris sedan e o Honda City, além do novo CAOA Chery Arrizo5.

Prioridade para os três volumes

A estratégia da Chevrolet em priorizar a versão sedan da plataforma parece não fazer sentido afinal o Onix é o produto de maior sucesso no Brasil. Mas a verdade é que o hatchback atende a um segmento do mercado que valoriza o preço mais em conta além de frotistas. Ou seja, um carro maior, mais equipado e mais caro nessa categoria não deve ter um efeito tão significativo, sobretudo porque a partir de uma certa faixa de preços os hatches praticamente estão deixando de existir.

 

 

 

Chevrolet vai lançar um motor turbo na nova família de compactos
Chevrolet vai lançar um motor turbo na nova família de compactos
Imagem: Divulgação

 

 

 

Já os sedans compactos são dos poucos segmentos que cresceram e ainda não sofreram com a pressão dos SUVs compactos. Nesse sentido, nem o atual Prisma nem o Cobalt conseguem brigar direito no andar de cima.

Depois do novo "Onix sedan", a Chevrolet deve novamente ignorar o hatch e pular para o novo Tracker, que pela primeira vez será fabricado no Brasil. Não é para menos: é a categoria mais importante no Brasil atualmente. E por falar em outros modelos, a GM afirma que essa nova faz parte do investimento de R$ 13 bilhões feitos no Brasil de 2014 a 2019 e que mais 10 bilhões de reais serão investidos no período de 2020 a 2024. Com isso, haverá a expansão dessa família de veículos, que deverá ter um SUV compacto, um hatch e pelo menos mais seis modelos, totalizando oito variações dessa nova plataforma.

Esse projeto, que começou em 2014, ainda não teve a lista de equipamentos detalhada, mas a Chevrolet garante: "a segurança é pilar fundamental para a fabricante", afirmou Gregório Del Rio, Engenheiro-Chefe Global da nova família de veículos da GM. Ao todo são 150 unidades do novo sedã em testes no Brasil e outros detalhes serão apresentados no Salão de Xangai, na próxima semana. O produto final chega às lojas no final de 2019, junto com mais 11 lançamentos que a GM pretende ainda para esse ano.

 

 

 

Imagem%20do%20painel%20que%20deverá%20figurar%20nos%20novos%20Prisma%20e%20Onix
Imagem%20do%20painel%20que%20deverá%20figurar%20nos%20novos%20Prisma%20e%20Onix
Imagem: Ferd

 

 

 

Vinicius Montoia

Formado pela PUC-SP em jornalismo, Vinicius já atua no setor automobilístico desde 2013. É criador do canal Narração Esportiva do Youtube, projeto que conta a história dos maiores narradores esportivos do país

Vinicius Montoia | https://www.youtube.com/channel/UC2lKRtZdmSdMRJZ8Pim78Fw