Renault Alaskan ainda não está confirmada para o Brasil

Picape média é produzida na Argentina ao lado da Nissan Frontier
Renault Alaskan

Renault Alaskan | Imagem: Divulgação

Ao que tudo indica não será tão cedo que poderemos ver a Renault Alaskan em nossas ruas. A picape média, produzida na Argentina em conjunto com a Nissan Frontier, ainda não foi confirmada para o nosso mercado.

A informação foi revelada pelo presidente da Renault do Brasil, Ricardo Gondo, durante coletiva de imprensa após a estreia do Captur 2022.

Segundo o executivo, a empresa não tem planos de lançar a picape no país até o momento. Questionado sobre um flagra recente de unidades da picape desembarcando no porto de Paranaguá (PR), Gondo explicou que os veículos em questão seriam utilizados apenas para testes e validações na fábrica da Renault em São José dos Pinhais. 

Na Argentina, a Renault Alaskan é comercializada somente com cabine dupla e sempre equipada com motor 2.3 diesel, em variantes com um ou dois turbos, nesse caso atingindo até 190 cv de potência e 45,9 kgfm. Ao todo a Renault Alaskan conta com 8 configurações no mercado vizinho, distribuídas em três versões de acabamento, duas de câmbio, duas de tração e duas de motorização. 

Questão de estratégia

Em termos de posicionamento, ao menos na Argentina a Renault Alaskan conta com preços ligeiramente acima da Nissan Frontier, sendo que a representante da marca francesa também conta com uma lista de equipamentos de série mais completa como uma forma de diferenciar os dois produtos. 

Apesar de já ter sido exposta aos brasileiros no Salão de São Paulo 2018, mesmo que de forma discreta, fica claro que a Renault precisa encontrar uma forma de acomodar a picape de forma competitiva no mercado para viabilizar sua oferta por aqui.  

Em 2019, durante entrevista ao AUTOO, Gondo resumiu: “o mercado de picapes no Brasil é um mercado importante, grande, e esse é um ponto. O segundo ponto é que temos marcas com muita tradição nesse mercado. Então o que a gente considera é que quando vamos entrar em um segmento ou fazer os investimentos necessários para isso, nós temos que entrar para ganhar. Não faz sentido apenas lançar um novo modelo por lançar, ele tem que ser um bom produto, muito bem posicionado, em que possamos lutar para ganhar espaço”. 

Renault Alaskan 2017
Renault Alaskan
Imagem: Divulgação