Opinião: seria interessante a Renault oferecer um SUV 7 lugares no Brasil?

Dacia, subsidiária da marca francesa, trabalha em um projeto que seria viável em nosso país
Renault

Renault | Imagem: Divulgação

Como abordamos aqui no Autoo, há um bom tempo já não é segredo que a Dacia, subsidiária da Renault para projetos de baixo custo, está trabalhando em um inédito SUV 7 lugares para sua gama. O modelo teria a função de substituir alguns modelos de apelo familiar dentro da gama, como a Lodgy e o Logan MCV, que foram perdendo apelo comercial com a migração dos consumidores para os utilitários esportivos.

Empresa que conquistou projeção mundial com os projetos de Logan e Sandero, a Dacia também mostra-se muito competente em suas leituras de mercado e na hora de conceber produtos mais antenados com as demandas e desejos do público.

Com isso, um SUV acima do Duster e com capacidade para 7 passageiros parece até uma evolução natural dentro da estratégia da fabricante. O segmento mostra um potencial inegável, uma vez que outras marcas, como a Hyundai, por exemplo, também desenvolve um modelo de características semelhantes tomando a segunda geração do Creta como ponto de partida.

Segundo um flagra recente publicado pelos espanhóis do Motor.es, a Dacia já trabalha de forma acelerada para colocar seu inédito SUV 7 lugares no mercado europeu em 2021. Ao utilizar como “mula” um Renault Grand Scénic para o desenvolvimento da novidade, podemos apostar que o futuro SUV 7 lugares deverá ter um porte semelhante ao da minivan em sua quarta geração. Estamos falando de algo na faixa de 4,50 a 4,60 m de comprimento e largura na casa de 1,85 m, dimensões que permitem oferecer bom nível de conforto para os passageiros distribuídos entre as três fileiras de assentos, assim como um amplo porta-malas para quem precisa de espaço.

Flagra do SUV 7 lugares em desenvolvimento utilizado um Renault Grand Scénic como base
Flagra do SUV 7 lugares em desenvolvimento utilizado um Renault Grand Scénic como base
Imagem: Motor.es

Certamente a gama de motores para movimentar um SUV desse porte precisará contemplar opções com bom nível de potência e torque, uma das razões pelas quais uma variante híbrida com a tecnologia E-Tech da Renault é dada como certa pela mídia especializada europeia. A ela devem se juntar motores térmicos a gasolina, diesel e até uma variante bicombustível utilizando gás natural veicular como alternativa. 

Ponto muito interessante, de acordo com as informações preliminares que circulam pela Europa, é que o SUV 7 lugares de baixo custo será baseado na plataforma CMF-B, a mesma que será nacionalizada pela aliança Renault-Nissan e vai servir de base aos próximos produtos fabricados no Brasil pelas duas marcas.

Olhando para nosso mercado, é evidente a falta de produtos 7 lugares mais modernos e acessíveis. A Jeep confirmou nesta semana que seu modelo nacional com três fileiras de assentos será lançado no segundo semestre de 2021, porém ele terá um apelo bem mais sofisticado, portanto podemos esperar valores entre os seis dígitos. 

Atualmente, quem precisa de um veículo 7 lugares, não abre mão do câmbio automático e deseja gastar o mínimo possível, encontra apenas no Chevrolet Spin a única alternativa com produção local. Apesar da bem-vinda inclusão dos controles de tração e estabilidade na minivan, seu projeto está longe de ser moderno e já pede por uma renovação.

Por tudo isso, a Renault teria ótimas condições de oferecer um produto bastante singular e competitivo em nosso mercado, em especial se o preço final ajudar, caso decida investir em uma produção local do futuro SUV desenvolvido pela Dacia. Vamos acompanhar.

Projeção de Kleber Silva sobre o futuro SUV 7 lugares em desenvolvimento pela Dacia
Projeção de Kleber Silva sobre o futuro SUV 7 lugares em desenvolvimento pela Dacia
Imagem: Kleber Silva