SF90 Stradale: a Ferrari mais potente de todos os tempos

Híbrida e com preço na casa de R$ 2,7 milhões, nova Ferrari terá um 3.9 V8 e três motores elétricos
Ferrari SF90 Stradale 2019

Ferrari SF90 Stradale 2019 | Imagem: Divulgação

Classificada como um "marco na história da Ferrari", nas palavras da fabricante, a SF90 Stradale foi revelada nesta semana e, de fato, chega para fazer história. Agrupando o aclamado motor 3.9 V8 biturbo de 780 cv de potência com outros três motores elétricos, a nova Ferrari torna-se o modelo de rua mais potente já produzido pela marca, com uma potência combinada de 1.000 cv. 

A potência total supera a da LaFerrari (963 cv) e a SF90 Stradale ainda tem uma vantagem do ponto de vista da eficiência e redução na emissão de poluentes: será possível carregar a bateria do sistema híbrido e rodar por cerca de 25 km apenas com os motores elétricos, desde que respeitando o limite de 135 km/h de velocidade. Segundo a Ferrari, os 780 cv do motor V8 fazem dele o propulsor 8 cilindros de maior potência já colocado pela Ferrari em um modelo de rua. 

Com o conjunto híbrido a pleno funcionamento e todos os motores atuando de forma combinada, a Ferrari declara uma aceleração de 0 a 100 km/h em arrasadores 2,5 segundos. O 0 a 200 km/h, ainda de acordo com a Ferrari, é feito em 6,7 segundos. A marca também garante que a transmissão de dupla embreagem com 8 marchas entrega trocas até 30% mais rápidas, o que ajuda a extrair um desempenho ainda melhor do conjunto híbrido. A velocidade máxima fica em 341 km/h. 

A marca garante que um dos motores elétricos é parecido ao sistema utilizado na Fórmula 1 e está fixado entre o motor principal a combustão e o câmbio no eixo traseiro. Já os dois restantes ficam acoplados às rodas dianteiras. Com isso, a Ferrari SF90 Stradale é o primeiro esportivo da marca a contar com tração integral, algo, explica a Ferrari, necessário para controlar a potência extrema do novo modelo.  

O nome SF90 significa Scuderia Ferrari e o 90 remete aos 90 anos da marca. Esse é o mesmo nome utilizado no bólido da Fórmula 1 este ano.

A engenharia da fabricante alega que o carro foi projetado para ter 390 quilos de downforce a 250 km/h (a força aerodinâmico aplicada ao carro para que ele permaneça com as rodas no chão).

A dianteira tem desenho único e não é comparado com nenhum outro modelo da Ferrari. A assinatura de LED é nova e os faróis são retilíneos. Segundo estimativas, a novidade pode chegar a custar 600 mil euros, o equivalente a R$ 2,7 milhões. Confira mais detalhes na galeria de fotos abaixo ou clique na foto principal que ilustra a notícia logo acima do texto para acessar as imagens em tamanho ampliado. 

Assine a newsletter semanal do AUTOO!