'Tabela Fipe' americana, Kelley Blue Book chega ao Brasil

Site KBB lança versão nacional que oferece cotações mais precisas de preços de automóveis novos e usados
Indicador de preços da KBB: pesquisa mais apurada

Indicador de preços da KBB: pesquisa mais apurada | Imagem: Divulgação

A dificuldade em determinar qual o preço justo de um veículo é algo que perdura há décadas no Brasil. Apesar de algumas iniciativas como a Molicar, tabela do Jornal do Carro (SP) e da FIPE, ainda persiste uma certa incoerência entre o que pede o vendedor e quanto acha que vale um veículo pelo lado do comprador. A imprecisão tem razão de ser: determinar um preço justo para um veículo é uma tarefa complexa que envolve desde a quilometragem rodada, passando por itens opcionais e acessórios a revisões realizadas e até a cor da carroceria.

Para tentar jogar luz nessa dura tarefa acaba de chegar ao Brasil a Kelley Blue Book ou KBB para alguns. Para quem nunca ouviu falar dela, trata-se da principal referência em cotação de preços de veículos novos e usados nos Estados Unidos, uma espécie de “tabela FIPE” americana. “Não nos consideramos concorrentes da FIPE que faz um belo trabalho”, explicou Carlos Domingues, diretor geral da Kelley Blue Book ao AUTOO. “Nosso foco é dar maior clareza ao negócio, seja pelo lado do vendedor ou do comprador”, complementa.

O grande diferencial do serviço, disponível pela internet, é o Indicador de Preço KBB. Em vez de divulgar um valor único, o site informa uma faixa de preços baseada em vários detalhes do veículo fornecidas pelo usuário.

O gráfico possui três faixas, verde, vermelha e cinza. Se o veículo está na faixa verde o preço está em linha com a média do mercado, se passa para a vermelha trata-se de um veículo de grande procura, por exemplo. Por sua vez, na faixa cinza o automóvel pode ser um bom negócio por excesso de oferta ou por estar saindo de linha, entre outros fatores.

A KBB chega a esses valores por meio de um complexo algoritmo que analisa vários outros fatores além dos dados do veículo em questão. Para finalizar, há ainda uma análise de um time de experts do mercado que procura por possíveis distorções. Em vez de um valor, o usuário pode ver até quatro preços: um para negociação entre pessoas físicas, outro para revendedores, um terceiro para compra de zero km e o preço total que inclui até mesmo os custos com emplacamento, licenciamento, taxas, impostos e documentação.

A Kelley Blue Book surgiu em 1926 e ficou conhecida justamente pelo “livro azul”, que era usado pelo mercado para acompanhar os preços dos veículos nos EUA. Hoje o serviço faz parte de um grupo maior, o Cox Automotive que atua em diversas áreas incluindo leilões de veículos.

Para acessar o site, o link é www.kbb.com.br.