É inegável que o Jeep Renegade ainda é um modelo muito desejado em um dos segmentos mais concorridos hoje em dia como é o caso dos SUVs compactos. A categoria hoje já responde por 21,5% do mercado brasileiro e deverá ganhar cada vez mais espaço nos próximos anos.

Prestes a completar 4 anos de mercado, chegou a vez do modelo mais acessível da Jeep fabricado no Brasil estrear seu primeiro facelift, inaugurando dessa forma a linha 2019 do Renegade em nosso país.

Você conferiu um resumo onde abordamos todas as diferenças que figuram no Jeep Renegade a partir de agora e, para falar um pouco mais delas, escolhemos avaliar neste teste a versão mais cara do SUV com motorização 1.8 flex e câmbio automático de 6 marchas. Estamos falando da configuração Limited, uma das que mais receberam aprimoramentos com a migração para a linha 2019 e que registra uma participação ascendente no mix de vendas do Renegade, mostrando a disposição do público em gastar cerca de R$ 100.000 em modelos do segmento.

Só no Jeep Renegade Limited 2019 você vai encontrar recursos como os 7 airbags e as rodas de liga leve aro 19". Nenhuma outra versão do modelo conta com esses diferenciais, que também, pelo menos por enquanto, nenhum outro competidor direto oferece.

Além do reforço na segurança ser sempre muito bem-vindo, as rodas aro 19” devem agradar grande parte do público brasileiro, em especial aqueles que são fãs dos utilitários esportivos.

Por se tratar de um projeto original de fábrica, as rodas aro 19” ficaram bem acomodadas no Renegade, que, ao rodar, não demonstra qualquer perda em conforto. O jogo de rodas e pneus maiores favorece a estabilidade e realça o bom comportamento dinâmico que o Renegade sempre entregou graças ao conjunto de suspensão independente nas 4 rodas, mas a conta aparece em no consumo um pouco maior do que as versões equipadas com rodas e pneus menores.

O Renegade Limited 2019, segundo dados oficiais, acelera de 0 a 100 km/h em 11,8 segundos e entrega parciais de até 9,4 km/l na cidade e 11 km/l na estrada com gasolina. Um Renegade Sport 2019 automático, por sua vez, agora conta com rodas aro 17” e precisa de 11,1 segundos para cumprir a prova de aceleração. O consumo, no caso do Renegade Sport automático, fica em 10 km/l na cidade e 12 km/l na estrada, também considerando o uso de gasolina nas aferições de consumo.

 
 
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
Jeep Renegade 2019
Jeep Renegade 2019
 
 

Por falar em consumo, o Jeep Renegade flex bem que merecia um motor mais eficiente do que seu 1.8 16V. Por adotar uma construção mais robusta, o que se reflete no peso elevado de 1.527 kg da versão Limited, o Renegade flex precisa de mais torque do que os 19,2 kgfm que o 1.8 é capaz de entregar. Algo na faixa de 25 kgfm estaria de bom tamanho e garantiria acelerações e retomadas mais vigorosas ao SUV.

A Fiat Chrysler sabe disso e vai nacionalizar os aguardados motores 1.0 e 1.3, ambos com turbo e injeção direta, que serão aplicados nos veículos nacionais do conglomerado. Como o Autoo apurou, a estreia dos novos propulsores no Brasil ainda vai demorar um pouco, cerca de um ano e meio a dois anos, mas, pelos números que observamos na Europa, o 1.3 turbo flex cairá como uma luva no Renegade.

Enquanto isso, o Renegade flex 1.8 automático oferece desempenho mediano para a categoria e mesmo a adoção do start-stop há cerca de um ano ainda não compensou o consumo mais alto do Jeep. Um Honda HR-V, por exemplo, que conta com motor de mesmo deslocamento (1.8 16V), alcança parciais de até 11 km/l na cidade e 12,3 km/l na estrada com gasolina. A transmissão automática CVT presente no Honda também ajuda a melhorar a eficiência.

Se no visual e na parte externa o Jeep Renegade pouco mudou (você pode até não perceber, mas a grade dianteira foi revista na linha 2019), os faróis full-LED são uma inclusão interessante na versão Limited (o recurso será opcional para o Renegade Longitude com preço na casa de R$ 2.000). Além de evitar problemas com lâmpadas queimadas, a tecnologia LED garante um alcance de iluminação 50% superior em relação aos faróis halógenos e ainda garantem um visual mais marcante ao Renegade, em especial pelo contorno da iluminação diurna. A única diferença do Renegade 2019 brasileiro para o europeu é que os diodos emissores de luz também foram aplicados nas lanternas do Renegade fabricado na Itália. As peças, contudo, contam com lâmpadas convencionais no modelo produzido em Goiana (PE).

Na parte interna, algo que acrescentou ainda mais comodidade e sofisticação ao Renegade 2019 foi o compartilhamento da mesma central multimídia com tela de 8,4” presente no Jeep Compass (item de série a partir do Renegade Longitude 2019). Fácil de operar, ela traz os sistemas de espelhamento Apple CarPlay e Android Auto, exibe as imagens da câmera de ré e agora também permite operar o sistema de ar-condicionado (que tornou-se 20% mais eficiente na linha 2019).

Bem posicionada, a central multimídia está no alto do console central, facilmente ao alcance dos olhos e das mãos. Como ocorre desde o lançamento, a linha Jeep nacional se destaca pela ótima construção da cabine, com boa seleção dos materiais, ergonomia, posição dos comandos, entre outros atributos. Para melhorar ainda mais o bem estar a bordo, o Renegade 2019 oferece porta-objetos revistos e ainda mais práticos. Nas versões com a central multimídia de 8,4”, os passageiros do banco traseiro também ganham uma entrada USB para carregar dispositivos eletrônicos.

Sem alterações na cabine, o espaço interno continua aceitável para 4 adultos. Ao menos o porta-malas, agora nas versões Sport, Longitude e Limited, ganhou mais 47 litros e pode acomodar 320 litros de bagagem ao todo. Melhorou, mas se você deseja um SUV mais voltado ao uso familiar é mais recomendável optar por um Compass caso você não abra mão da marca Jeep. Esse ganho na capacidade de carga veio com o uso de um estepe temporário. A única versão em que isso não ocorreu foi na topo de linha Trailhawk, que, por ter um apelo mais voltado ao uso off-road, segue com o estepe convencional aro 17” para essa opção do Renegade.

Na realidade do segmento de SUVs compactos, hoje temos modelos bem distintos do ponto de vista do apelo comercial. Enquanto Nissan Kicks e Honda HR-V apelam para a racionalidade e a versatilidade, o Jeep Renegade sempre buscou cativar muito mais pelo lado emocional, realçando a forte identidade que a marca norte-americana ainda tem pelo mundo (e ajuda a explicar em grande parte porque ele e o Compass vendem tanto).

Nesse cenário, quem é fã do estilo do Renegade – e ele conquista muita gente por isso – até pode achar justificável pagar o valor de R$ 103.490 que a Jeep pede por ele. É caro, mas a lista de equipamentos do modelo nessa versão é robusta. Além dos 7 airbags, faróis full-LED e rodas aro 19”, o Renegade Limited 2019 conta com revestimento interno de couro, sensores de chuva e estacionamento, acendimento automático dos faróis, ar-condicionado automático digital com 2 zonas, chave presencial, além, é claro, da central multimídia. Se você não faz questão de tudo isso, talvez a versão Longitude 1.8 flex automática (R$ 96.990) já entregue um conjunto bem suficiente. Ele perde os faróis mais sofisticados entre os itens de série, mas mantém a central multimídia de 8,4”, bancos de couro, conta com rodas de liga leve aro 18”, ar-condicionado com 2 zonas, entre outros.

Até existe a opção da versão Sport 1.8 automática (R$ 83.990), que responde pela maior parte das vendas do Renegade, mas ela conta com uma central multimídia bem mais simples, com tela de 5” e as rodas de liga leve nessa versão são aro 17”. Os controles de tração e estabilidade são itens de série no utilitário esportivo.

Com preços mais competitivos, o Renegade 2019 certamente continuará colecionando bons números de vendas. O mercado contará com novidades relevantes na categoria, como a chegada efetiva do Citroën C4 Cactus às concessionárias e o Volkswagen T-Cross no início do ano que vem, mas, amparado por uma marca que é sinônimo de SUV, o Renegade ainda preserva muita força no segmento. Com os futuros propulsores turbo flex, o que marcará a próxima grande evolução para o Jeep Renegade, aí sim ele se tornará ainda mais interessante. 

Ficha técnica

Jeep Renegade 2019 Limited 1.8 16V flex automático 4p
Preço R$ 103.490 (10/2018)
Categoria SUV compacto
Vendas em 2017 38.348 unidades
Motor 4 cilindros, 1747 cm³
Potência 135 cv a 5750 rpm (gasolina)
Torque 18,7 kgfm a 3750 rpm
Dimensões Comprimento 4,232 m, largura 1,798 m, altura 1,705 m, entreeixos 2,57 m
Peso em ordem de marcha 1527 kg
Tanque de combustível 60 litros
Porta-malas 320 litros
Veja ficha completa

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo |