Twizy se transforma em mini-carro de F1

Carrinho urbano da Renault vira um monstro comedor de asfalto com motor de 181 cv

Renault Twizy Sport F1, vai encarar? | Imagem: Renault

Os engenheiros da Renault que desenvolvem tecnologias para os carros de Fórmula 1 vez ou outra têm a chance de “brincar” com as ferramentas da oficina e os resultados são, digamos, inusitados. A montadora francesa apresentou nesta semana o Twizy Renault Sport F1, uma versão super anabolizada do inocente carrinho elétrico Twizy.

Com aerofólios de fibra de carbono na frente e na traseira, pneus slicks que “grudam” no chão, chassi especial de alumínio reforçado e uma quantidade absurda de potência para algo tão pequeno, o protótipo tem desempenho de carro grande e esportivo.

Para aumentar a potência do Twinzy os engenheiros turbinaram a capacidade de giro máximo do motor elétrico, que foi de 10.000 rpm para 36.000 rpm. Com essa mudança a cavalaria subiu de 16 cv para 81 cv! Mas a Renault ainda achou pouco. Não contente, a “turma da F1” instalou um KERS do carrinho, um motor elétrico com bateria de recarga rápida que despeja mais 100 cv nas rodas durante 14 segundos. Esse mesmo recurso, para quem não sabe, é usado nos carros atuais de Fórmula 1. Segundo a Renault, quem dirige o protótipo tem a sensação de ser “catapultado”.

Veja mais: Renault Twizy é solução para o trânsito e a poluição

Conforme divulgou a marca, o Twizy F1 vai do 0 aos 100 km/h em cerca de 5,5 segundos e a velocidade máxima é limitada em 110 km/h – o Twizy “civil” alcança 80 km/h. Já as baterias de lítio dão ao carro um alcance de até 80 km, com o pé no fundo.

O protótipo, como um legítimo carro de corrida, dispensa o banco traseiro original do carona e ganha um “senhor” assento com formato concha, que abraça o piloto, que conduz o Twizy com um volante adaptado de um bólido de F1, com menos botões. Completam o pacote freios mais fortes e a suspensão com acerto esportivo.

O projeto, no entanto, não chegará às ruas, apesar de funcionar muito bem. O Twizy Sport F1 é só uma maluquice dos engenheiros da Renault.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!