Breve no Brasil, novo Nissan Sentra mostra qualidades frente a Civic e Cruze

Sedã passou a ser "um dos mais recomendáveis do segmento", dizem argentinos
Acima o Nissan Sentra que será comercializado na América Latina

Acima o Nissan Sentra que será comercializado na América Latina | Imagem: Divulgação

Em outubro do ano passado, a Nissan apresentou na Argentina a oitava geração do Sentra para aquele mercado. O modelo, agora em sua oitava geração, já começou a ganhar as ruas do país vizinho e foi alvo de avaliação do Argentina Autoblog. Vale lembrar que a nova geração do Sentra está prevista para o Brasil e seu lançamento deve ocorrer ainda em 2021.

O que o novo Nissan Sentra argentino tem?

Assim como ocorrerá no mercado brasileiro, a nova geração do Sentra é importada à Argentina a partir do México. Por lá, a publicação avaliou a versão SR, uma antes da topo linha Exclusive. Dessa forma, seu preço de tabela por lá era de 2.900.000 pesos, ou cerca de R$ 180,5 mil na conversão direta da moeda. Vale lembrar que o país vizinho está passando por uma crise econômica, o que acaba por distorcer os valores da moeda local perante o real. Atualmente o Sentra tem versões entre R$ 91.090 (2.0 S) até R$ 108.990 (2.0 SL) no Brasil. 

Nissan Sentra 2020
Cabine do novo Nissan Sentra
Imagem: Divulgação

Na configuração SR, o Sentra argentino já traz rodas de 18 polegadas, painel de instrumentos com tela digital central de 7 polegadas, central multimídia com tela de 8 polegadas, conectividade via Android Auto e Apple Car Play, câmeras com visão 360 graus, controles de estabilidade e tração, frenagem autônoma de emergência, alerta de colisão frontal, sensor de fadiga do motorista, alerta de mudança involuntária de faixa e alerta de tráfego cruzado traseiro.

Saiba mais: Novo Kicks, Tracker ou T-Cross? Compare os detalhes

Nas medidas, o novo Nissan Sentra cresceu em quase todas as dimensões: 4,64 m de comprimento (+4 mm), 1,81 m de largura (+54 mm) e 2,71 m de entre-eixos (+10 mm). No entanto, ficou mais baixo, com 1,45 m de altura (-154 mm) e seu bagageiro diminuiu um pouco, indo de 509 litros para 466 litros.

Em termos mecânicos, a oitava geração do Sentra é sempre acompanhada por um motor 2.0 16V aspirado a gasolina capaz de entregar 147 cv de potência e 20 kgfm de torque. A versão de entrada na Argentina pode trazer um câmbio manual de 6 velocidades, mas todas as demais já contam com transmissão automática CVT com simulação de oito velocidades.

Nissan Sentra 2020
Nissan Sentra ficou mais baixo e largo
Imagem: Divulgação

O que os argentinos acharam do novo Nissan Sentra?

O Argentina Autoblog abriu a avaliação do novo Sentra dizendo que, no passado, não recomendava a compra da geração anterior, pois foi o último carro da categoria disponibilizado por lá sem controle de estabilidade. Agora, com a chegada do sedã renovado, o carro mudou a opinião dos avaliadores. A publicação diz que o modelo “talvez seja uma das opções mais recomendáveis do segmento de sedãs médios” naquele país.

Começando pelo visual externo, os argentinos elogiaram a forma como o Sentra passou a ter linhas mais esportivas, em grande parte por conta da nova linguagem visual da Nissan e da menor altura do carro, que aparenta ser mais largo. Até mesmo a cor laranja foi descrita como “impossível de passar desapercebida”.

Por conta da proposta de visual mais esportivo, o Sentra SR ganha itens como acabamentos exclusivos e spoiler no porta-malas, mas perde outros equipamentos em relação à Exclusive, como volante revestido de couro e o rebatimento elétrico dos espelhos. Os argentinos elogiaram particularmente a posição de guiar do carro, descrita como cômoda e levemente esportiva. 

Também foram dignos de nota a qualidade do acabamento interno e o espaço no banco traseiro, que acomoda bem até os adultos mais altos. A ausência de saída de ar-condicionado para a segunda fileira de bancos, porém, foi criticada. No entanto, o novo Sentra compensa com saídas USB na traseira e o bom sistema de som Bose.

O desempenho do motor 2.0 foi descrito como apenas aceitável em um segmento onde rivais como Honda Civic e Chevrolet Cruze já oferecem propulsores turbinados. A combinação do motor aspirado com o câmbio CVT também não foi julgada como a melhor para performance e os argentinos recomendaram a compra do modelo com transmissão manual por lá. Aqui no Brasil, como ocorre hoje, o novo Sentra deverá chegar ao país apenas com a caixa automática pela total falta de demanda pelo câmbio manual entre os sedãs médios vendidos no Brasil.  

Nissan Sentra 2020
Nissan Sentra 2021
Imagem: Divulgação

De acordo com a publicação, o Sentra é moroso para acelerar com as rotações abaixo de 3.000 rpm. No entanto, vai bem no uso normal e seria “ um carro que viaja muito sereno e com consumo razoável”. O contraponto vem com bons números de consumo. Foram observados 10 km/l em condução urbana e 13,3 km/l na estrada. 

Além disso, ao dirigir em pavimentos relativamente bem mantidos, o Sentra SR “é uma verdadeira delícia de dirigir. É um sedã francamente responsivo e falante”. Foram elogiados ainda os freios a disco nas quatro rodas e o sistema de suspensão traseira multilink que “o torna muito divertido em uma direção esportiva”.

Conclusão

Um dos pontos que o Argentina Autoblog fez questão de levantar é que o Sentra SR avaliado era um modelo de pré-série ainda. Assim, a central multimídia que reiniciava-se completamente a cada 93 segundos foi um problema observado e que espera-se que seja resolvido nos modelos de produção normal.

Dito isso, os argentinos concluíram que o Sentra é um dos melhores modelos à venda por lá para quem busca um sedã médio. Seria tão bom que deixou evidente uma mecânica um tanto limitada. A combinação do 2.0 com o CVT teria um desempenho bom o suficiente para uso normal, mas estaria um nível abaixo de seus concorrentes automáticos convencionais e turbinados.

Teto contrastante será um dos opcionais para o novo Sentra
Nissan Sentra 2021
Imagem: Divulgação