Com chegada do novo Polo, Golf 1.6 sai de cena

Volkswagen mantém apenas a versão 1.0 TSI como modelo de entrada do hatch médio
Volkswagen Golf 2017

Volkswagen Golf 2017 | Imagem: AUTOO

Para acomodar um novo modelo na linha é natural que uma marca precise eliminar versões de outros carros que se sobrepõem à novidade. No caso do novo Polo, que começa a ser vendido em novembro, a Volkswagen primeiro mexeu no Fox, veículo que mais se embrenhava na seara do novo hatch compacto. Agora, no entanto, foi a vez do Golf perder uma das suas versões, a 1.6 aspirada.

O Golf 1.6 com motor MSI já não consta mais do site da marca há algumas semanas. A versão, que chegou ao mercado há exatos dois anos, foi uma tentativa de popularizar o modelo já que o Golf 1.4 TSI passou a ser um carro caro com o dólar elevado.

Não demorou para que a Volks lançasse em 2016 o Golf 1.0 TSI com uma versão capaz de tirar 125 cv do motor de 3 cilindros com turbo e injeção direta. Embora disponível apenas com câmbio manual, a versão entregava mais por menos – a única vantagem do 1.6 era ter transmissão automática como opção.

Agora com o Polo Highline 1.0 automático essa lacuna está preenchida – o modelo custa R$ 69.190 sem os opcionais, ou seja, bem mais em conta que R$ 83,5 mil pedido pelo Golf 1.6 automático.

Futuro nebuloso

A perda de uma das versões não é apenas uma situação pontual. Com o encolhimento do segmento de hatches médios não só no Brasil mas em outros países também, o futuro do hatch médio é nebuloso. Embora tenha uma dirigibilidade irretocável e um estilo matador, o Golf vende pouco, atingido pelos SUV compactos e até médios, que custam parecido e estão na mira dos consumidores.

Em 2017, apenas 3,3 mil unidades do Golf foram emplacadas até setembro. É menos do que vendo um SUV como o Honda HR-V num mês. Não é à toa que a Volks corre para lançar o seu SUV compacto em breve. Espera-se que ele não seja a pá de cal no tão admirado Golf.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!