A trajetória do CR-V não é tão longa, mas ele já possui um currículo variado. O veículo nasceu em 1997 com o formato clássico de jipe, com direito até a estepe preso na tampa do porta-malas. Na década seguinte novos conceitos surgiram e o veículo da Honda assumiu então em 2002 a forma de SUV e na linha seguinte, em 2007, foi convertido a crossover. Enfim na quarta geração, o modelo se mantém na classe dos crossovers no mais puro sentido do termo, mas desta vez com mais tecnologia e sofisticação.

Tem marca que chama SUV (Veículo Utilitário Esportivo) de crossover e vice-versa. No entanto são categorias bem diferentes, apesar da semelhança estética. Crossovers reúnem características de outros segmentos, como a boa dirigibilidade de um sedã, a versatilidade de uma minivan e o porte de utilitário. Em outras palavras, é um automóvel comum, mas com cara de jipe. Entendidos?

O novo formato ficou justo no CR-V 2012. A reforma deixou o carro mais bonito, embora a traseira pareça uma cópia do Volvo XC60, especialmente pelo desenho das lanternas. Na parte frontal, as linhas revigoradas com um toque de esportividade deixaram o visual do modelo jovial e atual. A linha anterior já parecia “cansada”.

A cabine também traz uma série de modificações que refletem a entrada do modelo na turma dos crossover. O modelo anterior, mais SUV, tinha uma característica mais despojada, por isso não trazia muitos caprichos. No novo CR-V a história é diferente. O painel já deixa isso evidenciado de imediato com a novidade do friso laqueado decorativo, que percorre toda a peça. Há também detalhes cromados e os bancos vêm com revestimento de couro. O vão livre central entre os bancos dianteiros deixou de existir, permitindo a eliminação do freio de estacionamento por pedal. Para isso a Honda adotou a solução da alavanca do console, já que ele voltou a existir neste carro.

Impressões ao dirigir

O CR-V seria mais divertido se fosse mais potente, mas acelerar com vigor não é o seu propósito. Trata-se de um veículo pacato de conduzir, além de ser ágil e contar com uma posição de condução elevada, o que aumenta o campo visual e a sensação de segurança.

Na quarta geração, a Honda manteve o mesmo motor 2.0 da linha passada, mas efetuou certas mudanças – a marca não traz a versão 2.4 disponivel em outros países devido a questões tributarias no Brasil; veículos com motores maiores que 2.0 pagam mais impostos.

Segundo a montadora, o bloco 2.0 16V i-VTEC (com comandos variáveis de admissão e escape, para reduzir o consumo) foi revisado para gerar mais potência, mas nem tanto. A cavalaria saltou de 150 cv para 155 cv, ao passo que o torque máximo foi mantido em 19,4 kgfm. Resumindo, a mudança neste ponto é sutil. O câmbio automático de 5 marchas é outra parte do CR-V que não muda. Já é hora dele ter ao menos comando sequencial.

Em contrapartida, a dirigibilidade do CR-V ficou mais apurada, uma vez que o centro de gravidade baixou com a redução da altura do veículo em 4 cm (ele mede 1,65 metros). Essa alteração deixou o veículo mais estável, principalmente em curvas acentuadas. A Honda também melhorou o funcionamento da suspensão, tornando o carro mais confortável e o ruído do motor só invade a cabine acima dos 4.000 rpm. Ou seja, raramente.

A condição de condução ainda varia de acordo com a versão. O LX vem com tração apenas nas rodas dianteiras, o que torna seu comportamento mais permissivo a possíveis escapadas de traseira. Na opção ELX isso dificilmente acontece pois há tração 4x4 por demanda, sistema que envia mais torque justamente para as rodas com melhores condições de tracionamento. É melhor para andar na terra, apesar de não ser a vocação do CR-V 2012, e torna a direção mais segura em pisos pavimentados.

Recursos eletrônicos

Todo carro japonês que se preze tem algum agrado eletrônico. O novo CR-V, nas versões LX e ELX, vem com dois itens interessantes. O primeiro é a central multimídia i-MID, que reúne GPS, câmera de ré e sistema de áudio com leitor de CD, DVD, MP3 e com entradas USB e para iPod.

O outro recurso é o sistema ECON, que ao ser acionado, por meio de um botão verde no lado esquerdo do painel, altera as respostas de motor, câmbio e ar-condicionado para reduzir o consumo de gasolina. Pela contas da marca, a redução pode passar dos 20%.

A lista de equipamentos de série do CR-V 2012 inclui ainda airbags frontais e laterais, controles eletrônicos de tração e estabilidade (VSA) e o sistema Hill Start, que auxilia em partidas em aclives e declives.

CR-V manual

Outra novidade no CR-V é a opção de entrada LX com transmissão manual de 5 marchas, que também é boa pedida. A posição elevada da alavanca e o pedal de embreagem de acionamento muito leve fazem desta versão um veículo até divertido. Tem-se a sensação de ter o carro “na mão” ao controlar o engate das marchas. O desempenho do modelo com câmbio mecânico é ligeiramente superior ao das versões automáticas.

O crossover na opção manual custa R$ 84.700. Já o CR-V LX automático é tabelado em R$ 87.900 e o ELX (somente AT) saí por R$ 103.200. Comparado a geração passada, os valores subiram cerca de R$ 2.000 na versão de acesso enquanto o valor do modelo top de linha subiu exatos R$ 5.820. É o preço da evolução.

 
 
Design do carro ficou mais esportivo que a geração anterior Design do carro ficou mais esportivo que a geração anterior
Lanternas traseiras lembram as do Volvo XC60 Lanternas traseiras lembram as do Volvo XC60
Interior evoluiu e passou a contar com sistema GPS integrado no painel Interior evoluiu e passou a contar com sistema GPS integrado no painel
Porta-malas cresceu 33 litros, agora são 589 litros para acomodar as bagagens Porta-malas cresceu 33 litros, agora são 589 litros para acomodar as bagagens
Botão Econ ajuda a economizar combustível Botão Econ ajuda a economizar combustível
Painel de instrumentos destaca velocímetro ao centro Painel de instrumentos destaca velocímetro ao centro
Batizado de i-Miid, sistema reúne computador de bordo, sistema de navegação e câmera de ré Batizado de i-Miid, sistema reúne computador de bordo, sistema de navegação e câmera de ré
Motor 2.0 também evoluiu e passou a gerar 155 cv, 5 cv a mais que o anterior Motor 2.0 também evoluiu e passou a gerar 155 cv, 5 cv a mais que o anterior
Modelo recebe rodas de liga-leve aro 17 Modelo recebe rodas de liga-leve aro 17
Filete cromado logo abaixo do logo da marca dá um toque de luxo ao carro Filete cromado logo abaixo do logo da marca dá um toque de luxo ao carro
Um borrachão preto percorre toda a parte inferior crossover Um borrachão preto percorre toda a parte inferior crossover
Lanternas traseiras são finas na parte inferior e largas em sua base Lanternas traseiras são finas na parte inferior e largas em sua base
Modelo recebe tração 4x4 na versão ELX Modelo recebe tração 4x4 na versão ELX
Detalhe da coluna C Detalhe da coluna C
Novo Honda CR-V Novo Honda CR-V
Modelo é bem estável e suave quando conduzido em trechos urbanos Modelo é bem estável e suave quando conduzido em trechos urbanos
Teto solar só é oferecido na versão ELX Teto solar só é oferecido na versão ELX
Modelo possui alavanca de rebatimento instantâneo dos bancos traseiros Modelo possui alavanca de rebatimento instantâneo dos bancos traseiros
Detalhes das rodas de liga-leve aro 17 Detalhes das rodas de liga-leve aro 17
Na nova geração, CR-V alinhou o seu design ao resto dos carros da Honda Na nova geração, CR-V alinhou o seu design ao resto dos carros da Honda
 
 

Ficha técnica

Honda CR-V 2012 LX 2.0 16V gasolina automático 4x2 4p
Categoria SUV médio
Vendas em 2017 634 unidades
Motor 4 cilindros, 1997 cm³
Potência 150 cv a 6200 rpm (gasolina)
Torque 19,4 kgfm a 4200 rpm
Dimensões Comprimento 4,53 m, largura 1,82 m, altura 1,65 m, entreeixos 2,62 m
Peso em ordem de marcha 1516 kg
Tanque de combustível 58 litros
Porta-malas 589 litros
Veja ficha completa

|