Nova geração do SUV da Ranger: Ford Everest seria uma boa para o Brasil?

Flagras recentes apontam que a evolução do utilitário terá um caráter cada vez mais global
Projeção de Kleber Silva para a próxima geração do Ford Everest

Projeção de Kleber Silva para a próxima geração do Ford Everest | Imagem: Kleber Silva/KDesign AG

Ao que tudo indica, é cada vez mais recomendável ficarmos de olho na próxima geração do Ford Everest, também comercializado como Endeavour em alguns mercados.

O modelo, basicamente, é um SUV robusto de 7 lugares baseado na Ranger, portanto segue a fórmula das duplas Toyota SW4 e Hilux bem como Chevrolet Traiblazer e S10 produzidos no Brasil.

Como relatamos aqui no AUTOO, novos flagras da próxima geração do Ford Everest sinalizam que o utilitário deverá adotar um caráter cada vez mais global.

Bem conhecido em mercados da região asiática, o  novo Everest, por sua vez, foi flagrado nos EUA inclusive com direção à esquerda, o que sugere que a Ford planeja uma internacionalização maior do modelo.

Tendo como referência a próxima geração da Ranger, o designer Kleber Silva preparou com exclusividade para o AUTOO duas projeções sobre o que podemos esperar para o SUV totalmente revisto.

Novidades

Seguindo a base com chassi de longarinas e uma carroceria de grande porte, o novo Everest deverá preservar a opção 7 lugares, forte atributo também presente no SW4 e no Traiblazer nacional.

Especulações dão conta de que o futuro Everest 2023 poderá trazer sob o capô os motores 2.0 biturbo e 3.0 V6 turbo, ambos diesel.

Em busca de maior eficiência, os propulsores deverão trabalhar em conjunto com uma caixa automática de 10 marchas.

Também é possível que o novo Everest conte com uma opção híbrida plug-in baseada no motor 2.3 a gasolina.

A previsão é que o Everest baseado na nova Ranger faça sua estreia global no ano que vem, assim como é esperado para a picape.

Uma boa para o Brasil?

Considerando que, de janeiro a julho deste ano, o Toyota SW4 soma 7.344 unidades vendidas no país, média de 1.049 veículos ao mês, é nítido que a Ford teria um nicho de mercado muito interessante a explorar por aqui com o Everest renovado.

Soma-se a isso o fato de que o SW4 SRX com motor 2.8 turbo diesel hoje parte de R$ 358.890, portanto preço não parece ser um impeditivo para os consumidores da categoria que desejam um SUV com essa proposta.

Com isso, até mesmo um futuro Ford Everest híbrido atuando em uma faixa de preço superior estaria plenamente dentro da nova estratégia da marca no Brasil, que passou a atuar somente como uma importadora e tem nos planos criar por aqui um portfólio apenas com veículos mais rentáveis. 

Em paralelo, notícias de bastidores na Argentina cogitam a possibilidade da Ford até mesmo produzir por lá o novo Everest ao lado da próxima geração da Ranger.

Logo, com todo esse cenário se desenhando para o curto prazo, a chance de contarmos com o Ford Everest por aqui parece cada vez mais real. Vamos acompanhar de perto todos os passos!

Projeção de Kleber Silva para a próxima geração do Ford Everest
Projeção de Kleber Silva para a próxima geração do Ford Everest
Imagem: Kleber Silva/KDesign AG