Ainda precisamos passar por um facelift para a dupla Sandero e Logan e, enquanto isso, muita água vai passar sob a ponte da Renault aqui no Brasil. Mas já se sabe que a francesa olha com atenção para o seu posicionamento aqui no Brasil e busca alternativas para cumprir com sua nova filosofia global de tornar-se “menos Dacia” em mercados emergentes, como é o nosso caso.

Na gama de compactos, uma novidade para o longo prazo será a troca do Sandero por um hatch mais sofisticado e que tenha condições de posicionar a marca de uma forma melhor no segmento em que vão figurar as novas gerações de Chevrolet Onix, Peugeot 208, Hyundai HB20, entre outros modelos com um pacote mais avançado de design, motorização e conteúdos de tecnologia.

Essa decisão da Renault de voltar às origens, portanto, chega em boa hora uma vez que mesmo entre os hatches compactos o consumidor brasileiro já não quer modelos tão simples com o Sandero e está disposto a pagar mais por carros que entregam um conteúdo de fato mais interessante, basta olhar para o sucesso comercial que o novo VW Polo obtém por aqui.

Se a aparência é o que conta, a Renault prepara uma solução bem caseira para atender a nova demanda dos brasileiros. A receita passa por aproveitar o estilo do novo Clio europeu e adaptando sua carroceria à velha conhecida plataforma que hoje sustenta os projetos de Logan e Sandero. Tal adaptação já foi feita por aqui com o Captur brasileiro, mas resta saber se, no caso do futuro hatch nacional, ela vai resultar em boas avaliações de segurança.

Enquanto a Renault analisa suas soluções, o designer Kleber Silva fez uma interessante projeção (clique na foto principal para ampliar) colocando no papel como poderia ser esse eventual Sandero derivado do novo Clio. Por aqui, é muito provável que a Renault opte por resgatar o nome Clio, o qual ainda tem uma lembrança mais “nobre” para alguns brasileiros em relação ao atual Sandero, que sempre foi associado com um projeto mais espartano.

É fato que o novo Clio nacional deverá manter o tamanho já bem generoso do Sandero (ou quem sabe até ganhar alguns centímetros), uma vez que uma cabine ampla e confortável, bem como um porta-malas com capacidade na casa dos 300 litros (algo que o Sandero atual já entrega) será algo fundamental dentro da categoria daqui a alguns anos.

Segundo alguns rumores, a Renault já trabalha em seu futuro hatch compacto premium para o mercado brasileiro, porém podemos esperar o seu lançamento por volta da metade da década seguinte. Até lá deveremos ter boas novidades na gama Renault, como o motor 1.3 turbo nacionalizado, o que deverá conferir fôlego renovado para grande parte da gama brasileira da marca. Vamos acompanhar de perto como o projeto do novo Clio nacional evolui. Acompanhe!

Projeção de Kleber Silva antecipando o novo Clio (sucessor do Sandero) que será fabricado no Brasil
Projeção de Kleber Silva antecipando o novo Clio (sucessor do Sandero) que será fabricado no Brasil
Imagem: Kleber Silva

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/