Novo Clio, que deve chegar ao Brasil, é antecipado na Europa

Modelo tem como uma das premissas do projeto entregar mais espaço interno
Renault Clio 2019

Renault Clio 2019 | Imagem: Divulgação

Depois de mostrar o interior, chegou a vez da Renault pegar todo mundo de surpresa e antecipar completamente o visual da quinta geração do Clio, modelo que será lançado no Salão de Genebra, em março deste ano.

É importante ficarmos de olho na nova geração do Clio porque, aqui no Brasil, o hatchback deverá voltar a ser oferecido em nosso país como o sucessor do Sandero. A Renault conta com uma nova estratégia global de reforçar sua marca nos países onde atua e deverá se tornar “menos Dacia” aqui no Brasil e demais mercados.

A estratégia da Renault para lançar o novo Clio no Brasil, como antecipamos, deverá pegar carona na mesma solução para a nacionalização do Captur, ou seja, aproveitar a plataforma mais simples que hoje sustenta os projetos de Logan, Sandero e Duster e adaptá-la para o novo Clio nacional. De qualquer forma, teremos um carro com visual, acabamento e nível de tecnologias superiores ao Sandero, hatch compacto que nasceu para ser barato.

Segundo dados preliminares da Renault, o Clio em sua quinta geração ficou 14 mm mais curto, porém atinge 4,04 m de comprimento e tem 1,79 m de largura. Um Sandero atualmente produzido no Brasil oferece 4,06 m de comprimento. A Renault destaca, contudo, que em sua quinta geração o Clio oferece um interior mais espaçoso, algo fundamental para que a marca não perca clientes do Sandero aqui no Brasil, já que esse é um atributo fortemente vinculado ao hatch projetado pela Dacia.

Na parte externa (clique na foto principal para acessar a galeria), o novo Clio conta com um visual mais esportivo e “atlético”, com destaque para a interessante solução do prolongamento lateral dos faróis para acomodar a iluminação diurna por LED. O conjunto formado pelo capô, além do para-choque e da grade frontal criam uma sensação de grande robustez ao hatch.

A Renault acrescenta que a altura do novo Clio em relação à quarta geração foi reduzida em 30 mm (passou para 1,44 m) com o objetivo de obter ganhos aerodinâmicos maiores. Em conjunto com as rodas de liga leve que podem ter aro 17” dependendo da versão, a ideia, pelo menos no vídeo de divulgação antecipado pela marca, é de um modelo bem mais rente ao chão do que estamos acostumados. Pela condição longe da ideal em termos de manutenção de nossas ruas e avenidas no Brasil, é bem possível que a altura no futuro Clio nacional não seja muito baixa.

Outra característica de sofisticação no projeto do novo Clio é que todo conjunto de iluminação do modelo é em LED, uma garantia de melhor eficiência e maior durabilidade. A ideia, com o reforço de vários elementos cromados na parte externa, o uso de uma antena fina do tipo “tubarão”, entre outros, é “modernizar o exterior e aumentar a qualidade percebida”, nas palavras da Renault.

Como notamos na parte interna, o Renault Clio de fato subiu consideravelmente de nível, como nos mostra sua generosa central multimídia, recursos como o painel de instrumentos digital, e um cuidado maior nos materiais e opções de personalização do interior.

Levando em consideração que a Renault ainda precisa lançar no mercado brasileiro o facelift para a dupla Logan e Sandero – que deverá trazer consigo a nova opção de conjunto mecânico do motor 1.6 16V trabalhando em conjunto com o câmbio automático CVT – ainda deverá levar um bom tempo para o projeto do novo Clio nacional ganhar nossas ruas. A Renault não pode demorar muito, contudo, já que além do novo VW Polo nas ruas há um bom tempo, a concorrência vai se mexer neste ano com a estreia do novo Chevrolet Onix e o facelift do Hyundai HB20. A próxima geração do Peugeot 208, que será fabricada na Argentina, também deverá ser lançada por aqui no início da próxima década.  

Assine a newsletter semanal do AUTOO!