Após problemas em seus modelos, Tesla diz que chineses não sabem dirigir

Disputa no mercado chinês por conta de defeitos na suspensão dos carros da marca levou a empresa a realizar recall
Tesla Model S

Tesla Model S | Imagem: Divulgação

Já há alguns anos, clientes da Tesla nos EUA vêm reclamando de defeitos nas suspensões dos Model S e Model X. As peças que ligam as rodas, molas e amortecedores à carroceria poderiam se romper, causando o colapso do conjunto. O caso já levou a NHTSA, órgão de segurança viária daquele país, a investigar o caso em 2016. No entanto, nenhuma medida foi exigida para a fabricante de carros elétricos.

A mesma questão, porém, tomou um rumo completamente diferente na China. Por lá, sob a alegação dos mesmos defeitos de suspensão nos Tesla Model S e Model X, entidades estatais chinesas exigiram uma retratação da marca norte-americano para a resolução dos problemas. A Tesla anunciou que irá acatar às demandas por lá.

Saiba mais: com foguetes, novo Tesla Roadster será mais rápido que carros de F1

Inicialmente, o governo chinês exigiu o recall de 29.193 unidades de ambos os carros para sanar o risco de colapso da suspensão. Sem admitir que seus carros tenham defeitos, porém, a Tesla concordou em realizar um recall voluntário para evitar processos. No entanto, a campanha de chamamento que empresa realizará envolverá apenas 18.182 carros.

Sendo uma empresa norte-americana, a Testa informou a NHTSA a respeito de recall, mas o comunicado de um representante da marca dizia que a campanha seria realizada apenas porque os chineses têm “uma condução descuidada, sem reduzir a velocidade dos carros ante buracos, valetas e outros obstáculos”. Os reparos consistirão na substituição dos braços e suportes da suspensão dianteira e traseira, com a suspensão traseira sendo reparada apenas nas unidades do sedã Tesla Model S.

Tesla Model S
Tesla Model S é um dos envolvidos no recall chinês
Imagem: Divulgação