Como já foi várias vezes noticiado aqui no Autoo, a Volkswagen lança neste mês o esperado Jetta GLI no Brasil. A novidade custará R$ 144.990 e terá como único opcional o teto solar panorâmico (R$ 4.990).

O ponto forte do Jetta GLI reside no conjunto mecânico, o mesmo presente no Golf GTI. Estamos falando do motor 2.0 turbo de 230 cv, que mantém a potência máxima entre 4.700 e 6.200 rpm, e capaz também de entregar 35,7 kgfm de torque a apenas 1.500 rpm. Combinado com o câmbio de dupla embreagem de 6 marchas, o Jetta GLI acelera de 0 a 100 km/h em respeitáveis 6,8 segundos e alcança 250 km/h de velocidade máxima. Aceitando apenas gasolina, o Jetta GLI entregará médias de 9,9 km/l na cidade e 12,5 km/l na estrada.

Segundo a Volkswagen explica, para realçar o aspecto esportivo do sedan “a proposta de design foi deixar o modelo com a aparência mais baixa. A parte inferior do veículo é toda contornada por elementos escuros e as rodas de 18 polegadas (pneus 225/45 R18) têm estilo dinâmico (direcional), ou seja, não são simétricas, o que resulta em um visual exclusivo e em harmonia com a proposta do veículo”.

O para-choque dianteiro é exclusivo da versão bem como a grade frontal com elementos em formato de colmeia e o friso horizontal vermelho conectando os faróis full-LED. A barra que conecta a parte superior dos faróis, cromada nas demais configurações, é preta no Jetta GLI. Já a parte inferior dos faróis é unida por um filete vermelho. Na traseira o Jetta GLI conta com um difusor na parte inferior do para-choque e acrescenta o aerofólio na tampa do porta-malas, ressaltando a proposta do modelo. A saída dupla de escape cromada e toda a logotipia do modelo em vermelho complementam o conjunto. As pinças de freio dianteiras são pintadas em vermelho.

Em termos de dimensões nada muda e o Jetta GLI preserva as dimensões das demais versões com 4,70 m de comprimento, 1,79 m de largura, 1,47 mm de altura e 2,68 mm de entre eixos. O porta-malas tem capacidade de 510 litros, um dos melhores da categoria e ponto forte do Jetta em sua geração mais recente.

O interior, como é esperado em um modelo de proposta esportiva, aposta no tom escuro para forração do teto, colunas, laterais das portas, painel e bancos. Há também um amplo uso de cromados do volante (o mesmo do GTI, com base reta), capas dos pedais e soleiras de porta. A ambientação escura também favorece os detalhes em vermelho, presentes nas costuras do banco, no volante e nos tapetes.

Bem equipado, o Jetta GLI contará como itens de série o painel de instrumentos digital (Active Info Display), controlador automático de velocidade (ACC), alerta de colisão com frenagem automática de emergência, Sistema de Frenagem Pós-Colisão e regulagem automática do farol alto (FLA). O modelo ainda conta com as três primeiras revisões gratuitas (10.000 km, 20.000 km e 30.000 km).
 
Ainda compõem a lista de equipamentos de série o volante multifuncional de couro com shift paddles, bancos de couro (os dianteiros contam com regulagem elétrica e sistema de aquecimento – o do motorista oferece ainda três posições de memória) e sistema de seleção do perfil de condução e iluminação ambiente ajustável em 10 tonalidades. O Jetta GLI conta de série com o sistema de som da grife Beats, com 300 Watts e amplificador digital de 8 canais. O som de alta fidelidade é fornecido por 4 alto-falantes, 2 tweeters e um subwoofer com ajustes especiais. O Jetta GLI será oferecido em seis cores: três sólidas (Branco Puro, Cinza Puro e Vermelho Tornado), duas metálicas (Cinza Platinum e Prata Pyrit) e uma perolizada (Preto Mystic).

Aula de siglas

Pela primeira vez a Volkswagen oferece no Brasil um modelo com a sigla GLI e fez questão de explicar o motivo da escolha.

De acordo com a fabricante, a sigla GTI é utilizada exclusivamente para hatchbacks e a gama GTS é designada para versões esportivas intermediárias. Em breve ainda teremos aqui no Brasil o Polo GTS bem como o Virtus GTS, apenas para lembrar.
 
A nomenclatura GLI nasceu na década de 1980, nos Estados Unidos, como parte da estratégia de esportivos da Volkswagen no mundo, e se refere aos modelos de topo de gama, trazendo todo o apelo dos modelos GTI à classe refinada dos sedãs. Daí a origem do nome Gran Luxury Injection (GLI).
 
A configuração GLI é a reconexão da Volkswagen com aquele consumidor brasileiro que sonhava em ter um modelo da linha GT ou GTS nos anos 1980 e 1990, explica a empresa em comunicado. 

O principal concorrente hoje em dia para o Volkswagen Jetta GLI será o Honda Civic Touring. A opção topo de linha do sedan japonês conta com motorização 1.5 turbo de 173 cv e 22,4 kgfm de torque, câmbio automático CVT e tem preço sugerido de R$ 128.900. 

 

 

César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/