Enquanto não traz evoluções técnicas ou de estilo significativas, o que ficará mesmo para a próxima geração, o Ford EcoSport, modelo que criou o segmento dos SUVs compactos há mais de 15 anos aqui no Brasil, vai se virando de todas as formas para se destacar em meio a uma concorrência cada vez mais aguerrida em conquistar a preferência dos consumidores.

Para a linha 2020, como foi antecipado no Salão de São Paulo, o grande destaque do EcoSport ficou para o reposicionamento da versão Titanium, que passa a receber o mesmo motor 1.5 de 3 cilindros dos catálogos mais acessíveis trabalhando em conjunto com o câmbio automático de 6 marchas. O grande apelo dessa configuração passa a ser o uso de pneus run flat de série, os quais permitem ao carro rodar uma boa distância mesmo furados e sem ar. “Nós realizamos uma série de pesquisas com nossos clientes e notamos que a segurança é uma questão relevante para eles. Então reunimos nossa equipe e pensamos em formas de aprimorar esse atributo e uma das ideias foi a aplicação dos pneus run flat, a qual foi muito bem aceita pelos clientes do EcoSport”, explica Adriana Carradori, gerente de produto.

Com isso, o EcoSport Titanium 1.5 2020 também ficou livre para ganhar um diferencial exclusivo de design: a ausência do estepe na tampa traseira. “Vamos posicionar a versão Titanium com um caráter mais urbano dentro da linha. Quem desejar uma versão topo de linha, com o mesmo nível de equipamentos da Titanium, mas preservando o estepe na tampa do porta-malas, terá no EcoSport Storm uma opção”, acrescenta Carradori. Vale a pena lembrar que a versão Storm conta com tração integral, câmbio automático e mantém o motor 2.0 16V flex.

Voltando para o EcoSport Titanium 2020, as vantagens dos pneus run flat são inegáveis. Eles não são muito difundidos já que necessitam de rodas especiais e é necessário que o automóvel conte com o sistema de monitoramento da pressão dos pneus. Graças a uma série de atividades que a Ford preparou em seu campo de provas, foi possível constatar na prática toda a conveniência e segurança que os pneus com esse tipo de construção oferecem.

Para se manter fixo nas rodas e permitir que o veículo seja deslocado com segurança, os pneus run flat têm como segredo a sua construção com flancos, ombros e talões reforçados.

O Autoo avaliou o modelo com um e até dois pneus furados e praticamente nenhuma pressão de ar. Foi possível notar como os pneus run flat conseguem preservar a estabilidade dinâmica do modelo em uma situação de emergência. É claro que é necessário respeitar o limite de 80 km/h de velocidade máxima nas situações em que o pneu sofre algum dano, mas mesmo assim será possível dirigir até uma borracharia ou até sua residência, dependo da distância, de uma forma tranquila. Isso é importante já que você não precisa parar em qualquer lugar para trocar o pneu como ocorre nos modelos convencionais, evitando assim lugares ermos ou perigosos e colaborando para que você não tome qualquer “susto” adicional.

Com um pneu furado o EcoSport Titanium manteve um comportamento semelhante ao do modelo com os quatro pneus cheios, sendo que, com dois pneus furados, torna-se evidente que a condução passa a exigir um cuidado maior, porém em vários momentos o controle de estabilidade atua para evitar qualquer perda no manuseio do carro. Obviamente que, com dois pneus furados, cabe ao motorista adotar uma cautela extra para evitar manobras abruptas, afinal a ideia primordial da tecnologia run flat é dar condições para que o motorista possa chegar a um local seguro e efetuar os reparos necessários no pneu.

No momento que é constatado um furo e o carro alerta para a perda de pressão nos pneus ou ela chega a zero, é possível rodar com o EcoSport Titanium por 80 km. Se ao longo desse percurso você não encontrar nenhum local seguro para estacionar, a Ford também disponibiliza de série na versão o “kit reparo”, o qual também é obrigatório por lei para carros com pneus run flat. O kit é composto por um pequeno compressor que é ligado à tomada 12V do carro, além de uma mangueira e um selante. Aplicando o produto no pneu danificado, é possível rodar por mais 200 km. Segundo a Ford, uma vez usado, é possível comprar os novos selante e mangueira por R$ 266.

Os pneus run flat permitem reparos como um pneu convencional, mesmo após o uso do selante, desde que usado o plug de reparação específico, explica a Michelin, que fornece os pneus para a Ford. Já em termos de custo, os pneus run flat podem ser encarados quase como um “investimento” devido à maior segurança que proporcionam. De acordo com a Ford, cada pneu run flat aplicado no EcoSport Titanium terá um custo de R$ 899, o que não é tão superior assim em relação aos R$ 660 cobrados em um pneu aro 17” convencional com as mesmas dimensões.  

Antes um equipamento restrito aos carros premium pelo maior custo, os pneus run flat evoluíram muito ao longo dos anos e deverão se tornar mais populares daqui para frente. O EcoSport, de qualquer forma, passa a ser o primeiro carro com alto volume de vendas produzido no Brasil a oferecer esse interessante recurso como um item de série.

Além dos pneus run flat, o EcoSport Titanium traz um bom pacote de equipamentos. Tabelado em R$ 103.890, o SUV compacto conta com 7 airbags, controles de tração e estabilidade, teto solar elétrico, monitoramento de ponto cego nos retrovisores externos com alerta de tráfego cruzado, um belo revestimento interno de couro com tonalidade clara ou Light Stone nas palavras da marca, além de central multimídia com tela de 8” e sistema de com composto por 9 alto-falantes, sensor de chuva, chave presencial, ar-condicionado automático digital, entre outros.

Apesar do pacote robusto de equipamentos que o EcoSport Titanium oferece, é bom ter em mente que hoje você encontra no mercado um Citroën C4 Cactus Shine Pack, com o interessante motor 1.6 turbo que lhe confere um nível ímpar de desempenho, tabelado em R$ 99.990. Nessa configuração, a novidade da Citroën conta com um nível de equipamentos semelhante ao do EcoSport Titanium (fica devendo o teto solar e conta com 6 airbags) e tem a vantagem de trazer alguns assistentes de condução avançados, como o alerta de colisão com frenagem autônoma de emergência, alerta de saída de faixa, entre outros.

Hoje em dia, para quem está pesquisando um SUV compacto, também vale a pena aguardar o que a Volkswagen prepara em termos de preço para o T-Cross, seu esperado representante dentro da categoria e que chegará ao mercado provavelmente dentro de dois meses.

Se você é fã do EcoSport, o modelo ainda tem fôlego para disputar mercado com SUVs mais modernos em especial após a chegada do motor 1.5 tricilíndrico com o câmbio automático de 6 marchas. Não foi por acaso que a Ford optou por deixar o propulsor 2.0 16V, que tem um consumo um tanto quanto alto demais, apenas em uma versão do modelo. O preço do EcoSport na versão Titanium é elevado, mas ao menos ele capricha nos itens de conforto e comodidades ao motorista e passageiros. Uma coisa é certa: apesar do diversos aprimoramentos que a Ford vem fazendo no modelo, ele precisa ser atualizado em breve para não acabar ofuscado pela concorrência cada vez mais moderna.  

 
 
Ford EcoSport 2020
 
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
 
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
 
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
 
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
 
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
 
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
 
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
 
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
 
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
 
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
 
Ford EcoSport 2020
Ford EcoSport 2020
 
 

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/