Gol Rallye e Lifan X60 estão entre os destaques da semana

Além dos lançamentos, a segurança dos carros nacionais foi questionada pela mídia internacional, que os julgou comprovadamente letais

Semana teve estreias e polêmicas | Imagem: divulgação

Esta semana que passou foi das mais agitadas na área dos automóveis no Brasil e no mundo. Nesse período o mercado brasileiro ganhou mais três novos produtos, que atingem principalmente as camadas de acesso. A Volkswagen reeditou a versão Rallye para o Gol e lançou a nova opção Track, com visual esportivo “leve”, ambos já avaliados pelo AUTOO e disponíveis nas lojas da marca no País.

O outro modelo estreante é o Lifan X60, produto da marca chinesa que é montado no Uruguai chega repleto de itens de série e o preço convidativo de R$ 52.777. O pacote agrada, mas a qualidade...

A Associated Press desceu o “sarrafo” nos carros fabricados no Brasil, em especial os modelos populares. Segundo reportagem da AP, os automóveis nacionais são “comprovadamente letais”. A agência se baseou nos crash-tests do Latin NCAP, nos quais alguns modelos à venda no País, como Renault Sandero e JAC J3, tiveram péssimos resultados. Chevrolet Celta, Ford Ka e Fiat Uno também não foram nada bem nos ensaios de colisão, com notas muito abaixo da média ideal.

A Anfavea, a associação que reúne as montadoras instaladas no Brasil, não gostou da reportagem e rebateu os argumentos da AP. Segundo a instituição, a AP errou ao relacionar o número de vítimas no trânsito brasileiro com os indicadores de qualidade dos veículos produzidos no País. Luis Moan, presidente do grupo, ainda afirmou que a segurança dos carros brasileiros é superior a de modelos fabricados em qualquer outro lugar. Será mesmo?

Agitação francesa

O Grupo PSA Peugeot-Citroën apareceu em duas frentes nesta semana. A Peugeot apresentou na Europa a nova geração do hatch médio 308, que mudou totalmente, em visual e conteúdo, comparado ao modelo atual à venda no Brasil. A intenção da marca do leão é aproximar seu produto do VW Golf VIII, que hoje domina a categoria com folgas no Velho Continente.

Já a Citroën do Brasil anunciou que no segundo semestre deste ano vai lançar o C4 Lounge, o novo sedã que vem para substituir o veterano C4 Pallas, que já saiu de linha e vem sendo oferecido em promoções para queima de estoque. O novo modelo tem a missão de tirar a marca dos chevrons do ostracismo na categoria onde já figurou entre os ponteiros.

Boca no trombone!

A matéria mais acessada no AUTOO nesta semana foi o especial As marcas de carros que mais dão dor de cabeça ao brasileiro. O levantamento baseado nos dados do site Reclame Aqui mostrou que as chinesas JAC Motors e Chery são as marcas que mais têm reclamações por carro vendido, enquanto as melhores qualificadas foram Fiat e Toyota. Vale a pena conferir, principalmente quem está em busca de um novo carro.

O insistente, o exótico e o exagerado

A semana também ficou marcada por outras estreias, digamos, mais esdrúxulas. A GM do Brasil surpreendeu ao anunciar o lançamento da linha 2014 (mais uma...) do veteraníssimo Classic, o sedã baseado no Corsa de 1992. A marca não se cansa do pequeno três volumes, que ainda é sucesso de vendas apesar de se tratar de um projeto antiquado e obsoleto.

Do outro lado do mundo a Lamborghini apresentou o superesportivo com o singelo nome “Egoista”, um carro comemorativo aos 50 anos da marca italiana. Entre as peculiaridades do modelo estão o motor V10 de 600 cavalos de potência, a carroceria com desenho que repele ondas de radar e o habitáculo que mais se parece com o cockpit de um avião de combate. Apenas uma única unidade do modelo será fabricada, por isso esse nome.

Por fim, outro veículo de destaque foi a picape Volkswagen Amarok XXL, uma versão com distância entre-eixos aumentada em 33 centímetros, o que aumentou a comprimento da caçamba para 2,21 m e a medida total do veículo para 5,90 metros. Grande, não? Essa versão, apesar de ser fabricada na Argentina, por enquanto será oferecida apenas na Alemanha.

Assine a newsletter semanal do AUTOO!