Exercícios de “futurologia” nunca são fáceis, mas se existe uma tendência que podemos cravar para o curto prazo é o surgimento de um novo segmento no mercado brasileiro. Tratam-se de SUVs inéditos, que terão carroceria com menos de 4 metros de comprimento.

A lógica é simples e podemos enxergar esses futuros SUVs como uma evolução dos atuais hatches “aventureiros”, hoje uma receita simples para as marcas executarem e que caiu no gosto do público. Ela é representada por modelos como o Hyundai HB20X, Chevrolet Onix Activ, etc. 

Dentro da estratégia da Volkswagen de lançar 5 SUVs no Brasil até o começo da próxima década, esse “suvzinho” é colocado na conta. Como explicamos aqui, o modelo será um derivado da próxima geração do Gol e utilizará um layout simplificado da plataforma MQB. Em termos de preço, podemos dizer que esse SUV inédito, posicionado abaixo do T-Cross, deverá atuar em uma faixa onde o extinto CrossFox obteve muito êxito, portanto entre os R$ 65.000 e R$ 70.000 ou passando um pouco disso.

Como já antecipamos aqui no Autoo, outra marca que vai lançar um SUV subcompacto é a Fiat Chrysler. Caberá ao time da Jeep desenvolver esse novo produto, um modelo abaixo do Renegade em termos de porte e valores. Segundo alguns rumores, dependendo da estratégia que a FCA adotar para a América Latina, esse modelo até mesmo poderia ser comercializado aqui com a marca Fiat.

Até o momento não temos nada confirmado, mas muito provavelmente a GM também olha para esse novo filão do mercado com o desenvolvimento de sua nova família de automóveis para nossa região, a qual substituirá gradativamente o Onix, Prisma e todos os modelos de maior volume da Chevrolet aqui no Brasil. Sabe-se que a nova geração do Tracker será oriunda dessa família e, com isso, o desenvolvimento de modelos para um segmento acima (um futuro rival para o Jeep Compass), bem como uma categoria abaixo (no caso um competidor para o “baby Renegade”), poderia facilmente ocorrer em paralelo com o desenvolvimento do novo Tracker.

Enquanto esse modelos não chegam às concessionárias, muitas fabricantes exploram esse nicho com a adaptação, por assim dizer, de modelos já existentes. A Honda, por exemplo, partiu do Fit para desenvolver o WR-V e a Ford seguiu um caminho parecido com o Ka FreeStyle.

Hoje, as marcas chinesas já estão mais avançadas com relação à proposta desses inéditos SUVs subcompactos, como podemos ver em modelos como o JAC T40 e o Chery Tiggo 2.

Com isso, os novos SUVs subcompactos são uma tendência que parece muito interessante. Mais acessíveis e com dimensões adequadas ao uso urbano, com a vantagem de manter a posição de dirigir mais elevada e o bom nível de espaço interno e versatilidade oferecidos pelos SUVs, eles podem se tornar modelos bem interessantes.

 
 
Acima o Taigun Concept de 2014, um exemplo do que podemos esperar do SUV subcompacto da VW
 
Acima o Taigun Concept de 2014, um exemplo do que podemos esperar do SUV subcompacto da VW
Acima o Taigun Concept de 2014, um exemplo do que podemos esperar do SUV subcompacto da VW
Acima o Taigun Concept de 2014, um exemplo do que podemos esperar do SUV subcompacto da VW
 
Acima o Taigun Concept de 2014, um exemplo do que podemos esperar do SUV subcompacto da VW
Acima o Taigun Concept de 2014, um exemplo do que podemos esperar do SUV subcompacto da VW
 
 
César Tizo

O "Guru dos Carros", César Tizo se juntou ao time este ano e está à frente dos portais AUTOO e MOTOO. É o expert em aconselhar a compra de automóveis

César Tizo | http://www.jcceditorial.com.br/