Categoria que deve chegar ao Brasil, SUVs pequenos são as grandes apostas de muitas marcas

Posicionados abaixo de SUVs como VW T-Cross e Jeep Renegade, segmento receberá cada vez mais atenção
Hyundai Venue 2020

Hyundai Venue 2020 | Imagem: Divulgação

Enquanto aqui no Brasil temos um “ensaio” do que são esses modelos – vide produtos como o CAOA Chery Tiggo 2, JAC T40, entre outros – em alguns mercados do exterior os SUVs pequenos já são uma realidade. Uma evolução de hatches compactos aventureiros, como Hyundai HB20X e Renault Stepway, esses novos SUVs foram pensados como alternativas mais acessíveis e com porte menor em relação a Chevrolet Tracker, Jeep Renegade, entre outros. 

Orientados para o uso urbano, os SUVs pequenos ou de entrada são alternativas muito boas para quem não precisa de amplo espaço interno e porta-malas grande, porém não quer abrir mão do aspecto mais robusto e a posição elevada de dirigir que esses carros entregam. Um bom exemplo das características que permeiam essas novidades pode ser vista no Hyundai Venue.

É muito importante ficarmos de olho nesse novo segmento que surge uma vez que ele vai ganhar enorme atenção das fabricantes no curto prazo. Pela excelente aceitação que os SUVs recebem atualmente do público, é certo apostar que eles invariavelmente também deverão chegar ao Brasil em algum momento.

Ao reunirmos informações da mídia automotiva global, já sabemos de pelo menos seis a sete novidades que as principais fabricantes globais preparam para impulsionar a nova categoria.

A aliança Renault-Nissan-Mitsubishi, por exemplo, trabalha em um projeto comum que vai gerar derivados para a Nissan e a Renault. Estamos falando do Nissan Magnite e do projeto até então conhecido como Renault HBC, o “SUV do Kwid” como ficou apelidado. Ambos utilizarão uma variante da plataforma da aliança para modelos compactos, a qual é chamada CMF-A+.

Enquanto o Magnite será posicionado abaixo do Kicks, o modelo resultante do projeto HBC, que pode adotar o nome Kiger, será uma alternativa de entrada da Renault para o mundo dos SUVs sobretudo focando em mercados emergentes. É um produto, portanto, que reúne todos os atributos para uma eventual oferta e até mesmo produção também no Brasil. Tanto o Magnite como o SUV de entrada da Renault devem trazer sob o capô o motor 1.0 turbo com a opção de câmbios manual 5 marchas ou automático CVT.

Se a Hyundai já conta com o Venue em seu portfólio, a irmã Kia também vai apostar em um modelo semelhante. Já revelado na forma de conceito, o Sonet compartilha com o Venue tanto a plataforma como os conjuntos mecânicos e deve ser apresentado de forma definitiva no começo do segundo semestre deste ano. Aqui no Brasil, é bem mais provável que a Kia aposte na importação do Seltos – um SUV compacto tradicional – do que no Sonet, em especial pela escalada do dólar no Brasil. Se o dólar continuar no patamar atual, o preço do Sonet ficaria elevado demais, comprometendo seu posicionamento de mercado em nosso país. O mesmo podemos dizer do Hyundai Venue, exceto se a fabricante sul-coreana considerar uma eventual nacionalização do modelo por aqui.

Como já notíciamos nesta semana aqui no Autoo, a Honda também pode entrar na categoria dos SUVs com tamanho na casa dos 4 metros com o inédito ZR-V, nome que já foi patenteado pela companhia. A estreia da novidade pode ocorrer em até dois anos e, pensado para ser acessível, ele deverá compartilhar a plataforma com modelos como o Honda Amaze.

Entre as fabricantes europeias, quem parece bastante avançada com um projeto de um SUV pequeno e acessível é a Citroën. A empresa desenvolve uma nova família chamada C-Cubed que contemplará como primeiro fruto um utilitário esportivo de dimensões reduzidas conhecido até o momento pelo nome de projeto C21. Ele deverá ser lançado em 2021 na Índia, sendo que essa gama C-Cubed tem grandes chances de ser nacionalizada. O derivado do projeto C21, por exemplo, deverá ocupar o lugar do Aircross hoje em dia produzido no Brasil. Além do SUV, a gama C-Cubed contemplará um hatch (possível sucessor do C3 nacional) e um sedan compacto.

A Jeep, por sua vez, confirmou que desenvolve um inédito modelo para sua gama, com tamanho inferior ao do Renegade, que deverá estrear até o fim de 2022. Chamado de projeto 526, o modelo deverá focar o mercado indiano e outros locais onde o fator preço é muito sensível. Poderia ser o caso também aqui do Brasil, mas como o Autoo apurou a FCA descarta o “baby Renegade” em nosso país para evitar uma sobreposição com SUVs que a Fiat colocará no mercado. A ideia da Jeep no Brasil é oferecer produtos de maior valor agregado, tanto que já trabalha no terceiro modelo que será produzido em Goiana (PE). Estamos falando do inédito SUV maior e mais caro que o Compass, que terá como um de seus atributos de destaque a possibilidade de oferecer até 7 lugares.

Por fim, é bom ficarmos de olho também na Volkswagen aqui no Brasil. É muito provável que, em paralelo com o sucessor do Gol, a fabricante invista também no desenvolvimento de um SUV pequeno abaixo de Nivus e T-Cross. Mais acessível que os dois SUVs citados, ele seria um virtual sucessor para o CrossFox, derivado do hatch que obteve uma boa aceitação aqui no Brasil.

Hyundai Venue 2020

Hyundai Venue 2020

Flagra do projeto HBC, SUV derivado do Kwid, em testes na Índia

Flagra do projeto HBC, SUV derivado do Kwid, em testes na Índia

Acima o conceito Kia Sonet

Acima o conceito Kia Sonet

Acima o conceito Kia Sonet

Acima o conceito Kia Sonet

Assine a newsletter semanal do AUTOO!